Olá, queridos leitores! Hoje viemos falar sobre um evento extremamente importante para nós, blogueiras do PL, e para todos os leitores brasileiros! 

A Bienal do Livro Rio é um dos maiores eventos literários do país, um grande encontro que tem o livro como astro principal. Para os leitores, é a oportunidade de se aproximarem de seus autores favoritos, além de conhecerem muitos outros. Durante onze dias, o Riocentro sedia a festa da cultura, da literatura e da educação. Nos espaços dedicados às atrações, o público pode participar de debates e bate-papos com personalidades culturais e de atividades recreativas que promovem a leitura. A Bienal do Livro tem início dia 29 de Agosto de 2013 e vai até o dia 08 de Setembro de 2013 no Riocentro - Av. Salvador Allende, 6555 – Barra da Tijuca 22780-160 – Rio de Janeiro – RJ.

Haverá muitas novidades, e uma dela é o Acampamento na Bienal , que é uma área é dedicada especialmente aos jovens leitores. Interatividade não vai faltar . O grande tema deste espaço será a literatura de convergência, como as diversas mídias estão proporcionando novas experiências nesta arte. Os participantes terão contato com as mais novas formas de literatura e poderão participar de atividades como a Máquina de Ler. O bate-papo ficará por conta de nomes como André Vianco, Paula Pimenta, Felipe Neto, Porta dos Fundos, André Fan, Eduardo Spohr, Carolina Muñoz e Raphael Draccon.

*Muitas de nossas Editoras Parceiras estarão presentes! Você pode conferir a programação da Editora Novo Conceito aqui, e pode conferir a programação e novidades no twitter da Editora Leya! Confira a programação e as novidades da Editora Suma de Letras aqui, e também informe-se sobre a programação da Editora Intrínseca aqui.

Editora Novo Conceito também está concedendo espaço à novos autores! Se você tem um manuscrito e deseja que ele seja publicado, eis sua chance! Quem quiser realizar o sonho de ter um livro lançado em plena Bienal não pode perder esta oportunidade: os autores que entregarem seus originais entre as 10 e às 12h do dia 30 de agosto, sexta-feira, terão seus manuscritos avaliados pela equipe editorial da Novo Conceito/Novas Páginas. O texto aprovado será lançado em e-book até o término da feira. Trata-se de uma ação inédita de incentivo à cultura.

*Alguns de nossos Autores Parceiros estarão marcando presença nesse grandioso evento. Confira a lista abaixo:

- Pela Editora Novo Século temos:
2/9 – segunda-feira
11h – Denise Flaibam (Os Mistérios de Warthia)

5/9 – quinta-feira
17h – Leonardo Faig (Jesse Chesnutt)
20h – Claudemir de Oliveira (O Diário de Litat)

7/9 – sábado
14h – Ricardo Ragazzo (A Garota das Cicatrizes de Fogo)

8/9 – domingo
19h – Andressa Andrião (Memórias da Lua Cheia)

-Pela estante da Editora Modo temos:
01/09 – domingo
11h às 12h – Sessão de autógrafos do livro “A Fórmula da Vida” da autora Adriana Igrejas.

Na Bienal teremos vários escritores internacionais, dentre eles Nicholas Sparks, Emily GiffinSylvia Day, Mattew Quick, e claros nossos autores nacionais, como Carol SabarCarina RissiThalita Rebouças entre vários outros!

Nicholas Sparks irá dia 31/08 Sessão de autógrafos a partir de 12h (Editora Arqueiro)
Emily Giffin - dia 31/08 Sessão de autógrafos as 16h (Editora Novo Conceito)

Você também  pode conferir a Programação completa da Bienal .
Horário
Dia 29 de Agosto: 13h às 22h
Dias de semana: 9h às 22hFins de semana: 10h às 22h

Valor do Ingresso
Inteira
R$ 14,00
Meia-Entrada
R$ 7,00

Mais informações, clique aqui.


 
Livro: A Menina Que Semeava
Título Original: Blue
Autor (a): Lou Aronica
Páginas: 416
Editora: Novo Conceito
ISBN: 978-85-8163-240-7

"Chris Astor é um homem maduro, um botânico bem-sucedido, mas, especialmente, um pai amoroso. Sua filha — Becky — é, para ele, seu maior e melhor projeto. Mas a garota, tão amada, tem câncer. O que pode um pai quando sua filha foi acometida por uma doença assim, nociva? Como diminuir o sofrimento de uma criança tão amada? Apesar de sua agonia, Chris encontra uma maneira mágica de acolher sua menininha. Para que ela se recupere bem, e mais rapidamente, ele cria um mundo paralelo, cheio de fantasias, e histórias, e personagens maravilhosos que parecem ter o poder milagroso da convalescência. E nada no mundo, nem sua sanidade, nem seu trabalho, nem mesmo sua mulher serão obstáculos para a determinação deste pai que só tem o propósito de ver sua filha feliz. Uma história sobre desespero, esperança, invenção e descoberta que ultrapassa qualquer razão, qualquer limite, enquanto você revê tudo aquilo em que acredita."


   A história de A Menina que Semeava se centra na jornada de Becky, uma adolescente de 14 anos que já passou por sofrimentos que muitos mais velhos não poderiam suportar – aos cinco anos foi descoberto que Becky tinha câncer, e ela lutou bravamente contra a doença. Seu pai, Chris Astor, sempre compartilhou uma relação muito amorosa com a filha, e, quando ela ficou doente na infância, ajudou-a de um modo que nenhum médico poderia: juntos, Chris e Becky criaram Tamarisk, um reino de conto de fadas totalmente inovador, com suas próprias características, animais e cultura. A menina superou a doença e vive hoje em remissão, mas, em meio a esse processo, sua relação com o pai se modificou também.
    O relacionamento de Chris e Polly, seus pais, não conseguiu sobreviver a assistir o sofrimento da filha. Chris nunca cogitou a separação por não querer ficar longe de Becky, mas Polly foi inflexível, e hoje é possível notar os efeitos do divórcio na relação entre pai e filha; a distância e mágoa de ver o pai ir embora de casa pesou na relação dos dois, que costumava ser tão próxima, e Becky nunca mais quis saber de Tamarisk, rompendo o elo mais forte que a ligava ao pai. Agora, quando Chris parece estar progredindo e seu relacionamento com Becky está melhor do que em anos, algo aparece para aterrorizar a vida deles – e, ao mesmo tempo, Tamarisk parece estar em um perigo iminente. Até onde é possível separar a realidade da fantasia? Será possível que Tamarisk seja realmente real?

    A Menina Que Semeava é dividido em 25 capítulos, e as narrações focam em três protagonistas: Chris, Becky e Miea, a antiga princesa, e agora rainha de Tamarisk. É uma história com altos e baixos, na qual a narração é, sem dúvidas, o ponto alto da obra: Lou Aronica soube transmitir emoções, sensações com cada parágrafo de seu livro, usando e abusando da imaginação. Na realidade, é disso que o livro se trata: ele recorre à nossa imaginação, a capacidade do leitor de se colocar no lugar de Becky, de seu pai, da princesa Miea.
    Apesar de ser uma história fantasiosa, as lições que podem ser tiradas do livro são muito reais. Ele fala sim sobre Tamarisk, esse mundo belo e mágico, mas que está sofrendo com uma praga terrível. Becky, uma adolescente muito doce, que precisa lidar com fatores que fogem de seu controle, ao enfrentar uma doença hedionda. Ele nos mostra como o medo, o desespero, faz as pessoas se apegarem a coisas que seriam inimagináveis, mas, por serem a única alternativa possível, se tornam mais sólidas.
     O livro começa com um ritmo lento, mas a partir dos capítulos iniciais é quase impossível largá-lo. Adorei particularmente o modo como o autor entrelaça o mundo real com a fantasia, e como Connecticut se torna tão próximo de Tamarisk, apesar de todas as claras diferenças. O autor brinca com a mente do leitor, o desafiando a ir além, até onde a imaginação pode nos levar.
     Todos os personagens são muito bem construídos, cada um tem sua personalidade muito bem marcada e toma decisões coerentes, um fato que me agradou imensamente ao decorrer da leitura. Há um personagem em especial, porém: Gage, que tem um papel fundamental na história, é alguém que não é definido pelo autor, e que influencia os fatos diretamente. Seria ele o destino? Um anjo? Cabe ao leitor fazer sua própria interpretação.
      É quase impossível não se emocionar com as últimas cem páginas, quando o ápice da história acontece. Fiquei bastante comovida, e a leitura é encerrada com um sentimento de felicidade, porém, ao mesmo tempo, de profunda tristeza. Apesar de gostar do fim, minha única crítica é a velocidade: tudo aconteceu muito repentinamente, de um modo que explicações mais completas ficaram faltando. Acredito que o autor poderia ter o desenvolvido melhor, dando mais detalhes e sendo um pouco mais coerente.
    Não posso deixar de citar a capa, o primeiro fator que me deixou interessada pelo livro. A arte é belíssima, e a Editora Novo Conceito caprichou tanto nela quanto na diagramação e na revisão do livro, que ficaram impecáveis. O kit para os parceiros da editora também veio com uma essência de baunilha e cacau, que remete imediatamente à Tamarisk. 
    É uma história sobre o amor, sobre família e os laços entre entes queridos. É fácil se identificar com o clima paternal do livro, assim como as dúvidas e questionamentos de todos os personagens. O tema é polêmico e um tanto triste, mas o autor conseguiu equilibrar com maestria o drama e a fantasia, nos levando em uma jornada inesquecível.
Primeiro parágrafo do livro:
"O zunido suave do aparelho de DVD era o único som que se ouvia na sala. Chris estava sentado no sofá em frente da televisão, com o controle remoto na mão, embora não pretendesse usá-lo. Ele deixaria o aparelho continuar rodando ininterruptamente."
Melhor quote: 
“Não importava que muitas promessas não fossem realizadas. O que importava era que a esperança continuasse a existir.”


                                                                 


Essa noticia vai agradar muito os fãs do livro A Menina que Roubava Livros, escrito por Markus Zusak! Enfim o trailer da adaptação da obra foi divulgado. O livro lançou no Brasil em 2007, e trouxe críticas extremamente positivas de inúmeros jornais e críticos renomados. Sem mais, vamos conferir?


Sinopse do Livro:
A trajetória de Liesel Meminger é contada por uma narradora mórbida, surpreendentemente simpática. Ao perceber que a pequena ladra de livros lhe escapa, a Morte afeiçoa-se à menina e rastreia suas pegadas de 1939 a 1943. Traços de uma sobrevivente: a mãe comunista, perseguida pelo nazismo, envia Liesel e o irmão para o subúrbio pobre de uma cidade alemã, onde um casal se dispõe a adotá-los por dinheiro. O garoto morre no trajeto e é enterrado por um coveiro que deixa cair um livro na neve. É o primeiro de uma série que a menina vai surrupiar ao longo dos anos. O único vínculo com a família é esta obra, que ela ainda não sabe ler.
Assombrada por pesadelos, ela compensa o medo e a solidão das noites com a conivência do pai adotivo, um pintor de parede bonachão que lhe dá lições de leitura. Alfabetizada sob vistas grossas da madrasta, Liesel canaliza urgências para a literatura. Em tempos de livros incendiados, ela os furta, ou os lê na biblioteca do prefeito da cidade.
A vida ao redor é a pseudo-realidade criada em torno do culto a Hitler na Segunda Guerra. Ela assiste à eufórica celebração do aniversário do Führer pela vizinhança. Teme a dona da loja da esquina, colaboradora do Terceiro Reich. Faz amizade com um garoto obrigado a integrar a Juventude Hitlerista. E ajuda o pai a esconder no porão um judeu que escreve livros artesanais para contar a sua parte naquela História. A Morte, perplexa diante da violência humana, dá um tom leve e divertido à narrativa deste duro confronto entre a infância perdida e a crueldade do mundo adulto, um sucesso absoluto - e raro - de crítica e público.


Amei o trailer, e vocês? Só acho que deveriam ter mantido o narrador Morte , porque é uma peculiaridade do livro muito bem desenvolvida. Mas no geral, acho que tiveram sucesso na escolha dos atores e no "clima" que o trailer transmitiu. Espero não estar equivocada! rsrs
Quem aí já leu A Menina que Roubava Livros? 


    Harry Potter completou 33 anos este ano e os livros que contam sua história, 15. Como parte das comemorações, foi divulgada a última capa especial da saga, agora concebidas pelo artista Kazu Kibuishi.
     As novas versões, que foram divulgadas aos poucos, contam com cenários reimaginados, mas que ainda mantém uma ligação com as originais. “Eu tentei pensar em edições clássicas de romances famosos e como suas ilustrações tendem a parecer. De certa forma, o projeto se tornou tanto um tributo a Harry Potter quanto à literatura clássica”, explicou o ilustrador.
    Devendo ser colocados à venda a partir do dia 27 de agosto, as novas capas fazem parte de um box especial, em que as lombadas das obras formam o castelo de Hogwarts. Confira: 

Box HP Confira Todas as Capas Comemorativas de Harry Potter

Abaixo estão todas as capas dessa nova edição:

HP1 580x888 Confira Todas as Capas Comemorativas de Harry Potter HP2 580x889 Confira Todas as Capas Comemorativas de Harry Potter HP3 580x883 Confira Todas as Capas Comemorativas de Harry Potter HP4 580x883 Confira Todas as Capas Comemorativas de Harry Potter HP5 580x883 Confira Todas as Capas Comemorativas de Harry Potter HP6 580x883 Confira Todas as Capas Comemorativas de Harry Potter         HP Box Confira Todas as Capas Comemorativas de Harry Potter

O que acharam da novidade? Gostaria muito que alguma editora brasileira publicassem essa edição aqui no Brasil! As capas que eu mais gostei foram: Câmara Secreta, Prisioneiro de Azkaban, Ordem da Fênix e o Enigma do Principe. E vocês? Também achei essas ilustrações bem mais bonitas do que as ilustrações da primeira edição brasileira (apesar de gostar delas também).




Livro: Refém da Obsessão

Título Original: Reckoning
Autor (a): Alma Katsu
Editora: Novo Conceito
Páginas: 352
ISBN: 9788581632391

Sinopse: Havia uma parte em Lanny que queria ser punida. Um pedaço de seu coração que acreditava que ela merecia o horror de ser imortal, a tristeza de ver todos aqueles que amara partirem, enquanto ela só podia conviver com as perdas e as lembranças. Terríveis e solitárias lembranças. Este "dom", oferecido pelo mais malvado dos homens, Adair, era, para ela, a resposta a uma pena que ela deveria cumprir. Mas, apesar das culpas e do castigo que pensava merecer, ela ainda sonhava. E esperava ser redimida por ter dado a Jonathan - seu grande amor - o esquecimento que purifica todo ser de sua dor: a morte.
No entanto, bem no fundo de sua alma, ela suspeitava que, fosse o que fosse que a atraísse para Adair (e para sua maldade), fosse qual fosse o infeliz sentimento que os aproximara, este sentimento não fora totalmente exorcizado. Não importava que ela tivesse chegado ao cúmulo de emparedar aquele homem mau e deixá-lo para apodrecer, não importava que o tempo tivesse passado, nem que, hoje, ela pudesse contar com o apoio e os braços fortes e acolhedores de Luke... Adair estava por perto, ela podia senti-lo, e seu poder era inexorável.
 Série "Taker"
    1.  Ladrão de Almas. 
    2.  Refém da Obsessão


    Refém da Obsessão, continuação do livro Ladrão de Almas, apresenta-nos a vida de Lanore e Luke na atualidade. O médico humano e totalmente normal que, de alguma forma, seduziu nossa protagonista, convenceu-a de devolver inúmeras peças de valor histórico a um museu específico. Mas Luke não só modificara a vida de Lanore nesse sentido; também a convencera de esquecer praticamente sua antiga vida conturbada, agora que formavam um casal.
  Contudo, o passado de Lanore era forte demais para ser esquecido. Quando menos esperava, um zumbido desconfortável voltou a soar no fundo de sua cabeça. Nossa protagonista sabia exatamente o que isso significava: Adair havia escapado de sua prisão isoladora.
    Quando Adair transformou Lanore em uma imortal, proferiu palavras que fariam sua nova prisioneira ficar a sua mercê por toda a eternidade. Logo em seguida, Lanore percebera que o zumbido no interior de seu crânio denunciava essa ligação com seu “mestre”, mas depois que aprisionou Adair, rezava para que esse sinal nunca mais retornasse.
    Lanny queria fugir imediatamente, sufocada pelo medo assolador, e percebeu que era hora de abandonar Luke, para mantê-lo a salvo. Viajando sozinha encontrou companheiros antigos, tão imortais quanto ela, porém, tudo a levava para um caminho sem saída. Não havia como fugir, não havia como se esconder...
    Enquanto isso, Adair lutava contra sua fúria extrema.  Precisava adaptar-se ao novo mundo, depois de 200 anos preso, sem ver nem mesmo a luz do Sol. Com a ajuda de um dos seus imortais, recuperou sua fortuna e começou a sua busca incansável pela sua infiel amante.
    Mal sabia Adair que tudo o levaria ao passado de Lanore, onde tudo começou: em St. Andrew, e onde o corpo putrefato e sem vida de Jonathan – amor de Lanore – repousava. Talvez estivesse na hora de Adair finalmente testar uma de suas mais poderosas magias... Estava na hora de ressuscitar os mortos para atrair sua amada. Estava na hora de Lanore encarar a raiva que acumulara durante séculos de tormento.

    Refém da Obsessão segue o mesmo estilo de enredo de seu primeiro volume, e se mostra uma obra inteiramente envolvente e cheias de surpresas. A leitura fluiu de forma rápida, com uma narrativa completa e impossível de se incomodar, e um clima sombrio que pairou sobre a série até esse momento.
   Dividido em capítulos narrados em primeira pessoa – pela personagem Lanore – e os narrados em terceira pessoa – os capítulos que seguiram Adair – a história se fez no presente, com algumas lembranças passadas de ambos protagonistas, que contribuíram para a assimilação tanto da história quanto das personificações.
    Acreditei, de inicio, que a autora havia se perdido e fracassado ao tentar continuar a história no presente, já que no volume anterior, o passado se mostrou um ponto extremamente forte na trama. A própria protagonista parecia forçada e diferente da qual havia conhecido anteriormente. Mas durante a leitura, Alma Katsu resgatou sua história e personagens. Reconheci Lanore, mesmo que modificada pelos os 200 anos de experiência, e Adair novamente foi um personagem marcante e bem desenvolvido.
   Adair prosseguiu sendo misterioso ao seu modo, mas ao admitir para si mesmo seus sentimentos, foi possível compreendê-lo melhor. Somente nessa continuação consegui nutrir certa compaixão por ele. Já Luke foi mais bem apresentado, mas ainda faltou muito a ser revelado sobre ele.
  Também foi incrível rever outros personagens e tentar compreender novamente esses turbilhões de sentimentos conflitantes; códigos morais diferentes dos que estamos acostumados e indecifráveis. Talvez toda essa complexidade – e, conseqüentemente, essa profundidade – seja o ponto mais forte dessa série.
   O enredo de Alma Katsu tem certa enrolação, sendo isso, uma característica própria. Depois de várias cenas de ação, a trama se torna incrivelmente rápida e impossível de se largar.
    Refém da Obsessão foi imprevisível tanto em seu final quanto nas atitudes dos personagens. O desfecho foi mais marcante que o do Ladrão de Almas, e deixou aberta lacunas a serem preenchidas em uma possível continuação.
    No geral, o livro traz reflexões interessantes sobre a vida, a imortalidade, a ordem natural do universo , o amor e a solidão.  Ainda se mostra um livro cruel, mas porque o enredo não poupa o leitor da realidade. A felicidade e a infelicidade andam de mãos dadas.
    A capa é linda, em minha opinião, só pecou nas edições da imagem colocada. A formatação do livro me agradou mais dessa vez , e não vi nenhum erro de gramática gritante.
   Toda vez que me vejo lendo novamente as palavras de Alma Katsu, consigo visualizar as cenas de um modo cinemático. Espero realmente que vire uma adaptação memorável!
    Apesar de alguns pontos que me desagradaram, Refém da Obsessão valeu todo o entusiasmo! Indico a série e o segundo volume a todos que gostam de livros profundos, sombrios e fantasiosos.

Primeiro Parágrafo: "Estávamos quase chegando no Victoria and Albert Museum quando vimos uma multidão saindo da porta de entrada e atravessando a Rua Cromwell, forçando nosso tai a para no meio do caminho.”
Melhor Quote: “[...] Mas a mudança era a natureza do cosmos, chegara a essa conclusão; tudo era suscetível à mudança, até mesmo ele.”


Olá, meus queridos leitores! Espero que estejam bem. Hoje é dia da nossa coluna Memória Musical. E adivinhem o livro que escolhi? Anna e o Beijo Francês, escrito pela Stephanie Perkins


Apesar de alguns pontos negativos, Anna e o Beijo Francês foi, definitivamente, um livro marcante. E a musica que me faz volta a esse cenário maravilhoso e detalhadamente apresentado é The A Team, do cantor Ed Sheeran. Talvez essa ligação ocorra porque conheci essa musica no mesmo momento em que comecei a leitura desse chick-lit, mas ainda acho que ela tem um ritmo perfeito para a história de nossa protagonista nessa terra iluminada. 


E para completar o Memória Musical, vou apresentá-los a mesma musica, mas na versão do talentoso Boyce Avenue! Esse cantor é famoso por fazer versões de várias musicas famosas. Muitas delas ficam melhores que as originais. Realmente, Boyce Avenue tem uma voz de arrepiar! Confiram:



O que acharam das escolhas? Conheciam os dois cantores apresentados? Quem aí já leu Anna e o Beijo Francês? Conte-nos sua opinião! 


Esther Earl faleceu em 2010, quatro anos após ser diagnosticada com câncer de tireoide, mas uma parte dela vive na estante de milhares de leitores, mesmo sem eles saberem. Em 2012, John Green dedicou seu romance, A Culpa é das Estrelas, para Esther. O bestseller é narrado por Hazel, uma peculiar garota de dezesseis anos com câncer, e agora Esther está para se tornar uma autora também.

                                         
Foi revelada a capa de uma coleção de coisas que ela escrevia. Intitulado This Star Won’t Go Out: The Life and Words of Esther Grace Earl, a previsão de lançamento para os Estados Unidos é 2014, com prefácio de Green. O livro deve desembarcar no Brasil no próximo ano também, e tudo leva a crer que pela Intrínseca, detentora dos direitos de Green.
Fonte

Fiquei super animada com a noticia, e, de até certo modo, surpresa, porque ainda não conhecia  a inspiração de John Green! Com certeza vou querer investir nesse leitura, mesmo com receio de me ligar muito à uma personagem verdadeira que teve um destino trágico. E vocês? O que acharam?



Livro: Vou Lhe Mostrar o Medo
Título Original: Jeg skal vise dere frykten
Autor (a): Nikolaj Frobenius
Editora: Geração Editorial
Páginas: 296
ISBN: 9788581301099
Sinopse: Edgar Allan Poe, o célebre poeta e autor de histórias de terror, bem como criador do gênero policial na literatura, é o protagonista deste romance de suspense psicológico, que discute os limites da criação literária e a responsabilidade moral da arte. Nele vemos o jovem escritor norte-americano afligido pela pobreza, angustiado com a enfermidade da sua frágil esposa e assombrado por um maníaco que comete assassinatos inspirados nos seus escritos, além de sabotado em sua carreira pelo crítico literário Griswold, que lhe dedica um misto de admiração e ódio.
Publicado em toda a Europa, traduzido em dez idiomas e plagiado por Hollywood, este romance premiado marca a estreia, no Brasil, de Nikolaj Frobenius, um dos grandes expoentes da moderna literatura norueguesa.
   

  
 A obra trata-se de uma espécie de biografia narrada de um jeito diferente e com acréscimos de personagens e acontecimentos fictícios. 
   Edgar Allan Poe – poeta, contista, crítico literário. 1809 – 1849 – tornou-se órfão cedo. Sua guarda foi concedida à rica família Allan, onde desfrutou de bons estudos. Mas seu pai adotivo nunca reconheceu seu talento para literatura, e decidiu deserdá-lo. 
   Durante sua juventude, conheceu Samuel, um escravo branco que servia a propriedade onde morava, e a quem decidiu ensinar a ler a escrever. A partir daí, Samuel decidiu ser fiel ao seu “patrão” sempre, seguindo-o para onde quer que Edgar optasse ir. E foi na companhia de Samuel que Edgar se viu sem dinheiro e sem abrigo. 
   Quando escolheram um lugar mais apropriado para passar a noite, Edgar, ao acordar, percebe que Samuel estava fugindo com seu caderno de criações. Espancou-lhe e abandonou seu fiel fã em suas lamentações. Nunca mais Edgar encontrou seu criado. 
   Depois de anos, o mal reconhecido poeta recebe noticias sobre assassinatos que seguem com precisão o enredo de suas histórias e se vê ameaçado por um mal-feitor oculto.
   Mas enquanto isso, precisava lutar contra seu rival, Rufus Griswold – antologista e pastor 1812 – 1857. Este via as obras de Edgar como algo extremamente atraente, mas imundo, por se tratar de assuntos tão macabros. E foi nesse vicio contido que Griswold se envolveu nessa aterrorizante história. 
   Talvez ninguém pudesse conter esse fanático louco, nem mesmo a morte, nem mesmo o medo. 

   Vou lhe mostrar o Medo tem história complexa e rica em detalhes que se mostrou monótona e decepcionante. 
   Diante à renomada série de televisão “The Follwing” e ao filme “O corvo”, mergulhei nessa leitura com expectativas altas, porém, cheias de realismo. 
   A primeira impressão que a obra transmitiu era de que seria um livro extremamente forte e bem narrado. A obra continuou com uma narração impecável, no entanto, não soube ser marcante. Talvez porque o autor tenha se atado muito na “biografia” e tenha deixado o livro sem o “clima” que uma história de suspense e terror deve ter. 
   O livro se mostra sombrio, sem dúvidas. E esse é um ponto extremamente positivo que tenho que enfatizar. Contudo, não me causou arrepios, não me envolveu com facilidade e pareceu não apresentar um clímax. 
   Tenho que admitir que a pesquisa detalhada feita a partir da história de Edgar Allan Poe foi impressionante. Mas o que mais admirei foram os acontecimentos fictícios acrescentados de forma equilibrada e perfeccionista na história real. Em nenhum momento consegui distinguir o que realmente aconteceu e o que era uma invenção. 
   A leitura de inicio foi marcada com muita confusão, já que não conhecia nada sobre Edgar Allan Poe e seus coadjuvantes, mas depois que a história foi sendo apresentada, comecei a me interessar muito nas criações do protagonista e as descrições sobre a época que se encontrava. 
   Em vários momentos, trechos dos contos e algumas das poesias de Edgar foram apresentados. Sendo um dos primeiros autores a iniciar o gênero ficção policial, foi recompensante conhecer melhor sua história e seu modo de levar a vida. 
   Fixei muito minha atenção ao cenário – que mudava repentinamente. Com o auxilio da narração completa conheci bastante sobre como tudo funcionava naquele tempo, e as cidades ainda pouco modernizadas. O livro instigou-me muito, e me forçou a continuar a leitura por mexer com minha curiosidade
   A obra foi dividida em datas, e isso confirmou a preocupação do autor em manter a qualquer custo a biografia de Edgar. Sua estética é perfeita, com cores, imagens, e com fontes da letra muito bem desenhadas. A Geração Editorial não pecou em deixar o livro tão chamativo e tão bem adaptado à leitura.
   Com muita informação e aprofundamento, Vou lhe mostrar o Medo pecou em alguns momentos, mas compensou em nível de conhecimento agregado. Além disso, muitos sentimentos foram transmitidos ao leitor. Sentimentos fortes e conflitantes que fizeram dos personagens concretos e muito reais. 
   O autor se mostrou extremamente competente nessa criação, de modo que poucos outros conseguiriam alcançar seu sucesso. A ultima frase foi muito impactante e me fez refletir muito sobre toda a leitura.
   Esse livro poderia ter sido desenvolvido de outro modo, mas talvez se perdesse em seu principal objetivo. Indico o livro à todos que admiram o gênero policial! A leitura foi gratificante cheia de conhecimento. No final, consegui enxergar a obra com outro olhos e consegui gostar de Vou lhe Mostrar o Medo do jeito que é.

Primeiro Parágrafo: “No final de uma tarde de agosto, um homem usando capa caminhava apressado em meio à multidão da Broadway, lançando olhares amedrontados à sua volta.”
Melhor Quote: “O medo está constantemente emparelhado dentro de nós, ele pensaria, anos depois. Durante o dia procuramos dissimulá-lo, mas à noite os nossos pensamentos tomam o poder. Tudo o que fazemos é governado pelo medo ou pelo desejo de nos livrarmos dele.”


Oi, gente! Ser fã de um livro é chorar, se emocionar, dar gargalhadas e acompanhar a história como se fosse de verdade. Tudo fica mais real, porém, quando podemos ver e ouvir nossa história preferida nas telas. O Top 5 de hoje tem como tema nossas cinco Adaptações Literárias preferidas. Vamos conferir?

1. HARRY POTTER E AS RELÍQUIAS DA MORTE - PARTE 2
Acredito que todos os filmes de Harry Potter tiveram a história muito bem adaptada, super fiel ao livro e com efeitos bem reais - é claro que uma ou outra coisa ficou mal feita, e algumas mudanças nunca deveriam ter sido realizadas, mas isso acontece em todos os filmes. É difícil escolher só um filme da série, mas o último apenas tem algo especial em si. Quem não se emocionou ao ver Harry caminhando para a morte ou com a inesquecível batalha final? Quem não derramou algumas lágrimas ao escutar o "Always" ou ao ver a cena final do filme? É, em minha opinião, o melhor filme entre os oito, e conseguiu retratar com perfeição o universo dos livros. 

2. UM AMOR PARA RECORDAR
Quem já leu o livro sabe como a adaptação muda... bem, tudo, a não ser os fatos principais do livro. Apesar disso, preciso dizer que esse é um dos (raros!) casos em que o filme conseguiu ser muito melhor do que a história original. Não que o livro não seja bom: entretanto, tem muitas cenas desnecessárias e diálogos que deveriam ser emocionantes, mas são apenas clichês. O filme retrata o amor, o cuidado e o sofrimento perfeitamente, e digo que se você ao menos não ficou balançado depois de ver a adaptação, seu coração é de pedra. 

3. ORGULHO E PRECONCEITO
"É uma verdade universalmente reconhecida que um homem solteiro na posse de uma bela fortuna necessita de uma esposa." Assim se dá início a uma das mais belas histórias de amor de todas, atemporal e singela. Orgulho e Preconceito é um de meus livros preferidos, e a adaptação de 2005 não fica muito atrás. A atuação de todos, o cenário e até mesmo o sotaque (♥) estão incríveis, e retratam com maestria a época em que a história se passa. 

4. O DIABO VESTE PRADA
O filme fez muito sucesso e é lotado de críticas positivas, tendo bons atores e uma história cheia de glamour e comédia. Li o livro depois de assistir ao filme, e me decepcionei bastante. Não que o livro seja ruim, mas Andrea, a protagonista, é irritante e tomas algumas atitudes completamente descabidas, quando no filme tudo fica mais interessante, mais atraente. Gosto de ambos, mas o filme supera o livro com toda a certeza.
p.s: Preciso fazer uma menção honrosa à atuação de Meryl Streep, que é digna de um Oscar.

5. JOGOS VORAZES
A adaptação de Jogos Vorazes traz controvérsias entre os fãs, mas eu particularmente gostei bastante. É claro que há algumas cenas acrescentadas, alguns fatos que deveriam ter acontecido (como o Peeta nunca ter perdido a perna. Como assim?!), mas fiquei satisfeita com o resultado no geral. No filme a Katniss tem muito mais atitude do que a personagem do livro, e não se lamenta tanto por tudo o que acontece. A história como um todo foi fiel ao livro, e isso, em uma história como Jogos Vorazes, é sempre bom. 


Então, o que acharam? Se você não concorda com nossa opinião e tem outros filmes em mente, nos conte nos comentários! E não se esqueça de votar na enquete.



Livro: A Seleção
Título Original: The Selection
Autor (a): Kiera Cass
Editora: Seguinte (Companhia das Letras)
Páginas: 327
ISBN: 8565765016
Para trinta e cinco garotas, a “Seleção” é a chance de uma vida. Num futuro em que os Estados Unidos deram lugar ao Estado Americano da China e mais recentemente a Illéa, um país jovem com uma sociedade dividida em castas, a competição que reúne moças de dezesseis e vinte anos de todas as partes para decidir quem se casará com o príncipe é a oportunidade de escapar de uma realidade imposta a elas ainda no berço. É a chance de ser alçada de um mundo de possibilidades reduzidas para um mundo de vestidos deslumbrantes e joias valiosas. De morar em um palácio, conquistar o coração do belo príncipe Maxon e um dia ser a rainha. Para America Singer, no entanto, uma artista da casta Cinco, estar entre as Selecionadas é um pesadelo. Significa deixar para trás Aspen, o rapaz que realmente ama e que está uma casta abaixo dela. Significa abandonar sua família e seu lar para entrar em uma disputa ferrenha por uma coroa que ela não quer. E viver em um palácio sob a ameaça constante de ataques rebeldes. Então America conhece pessoalmente o príncipe. Bondoso, educado, engraçado e muito, muito charmoso, Maxon não é nada do que se poderia esperar. Eles formam uma aliança, e, aos poucos, America começa a refletir sobre tudo o que tinha planejado para si mesma — e percebe que a vida com que sempre sonhou talvez não seja nada comparada ao futuro que ela nunca tinha ousado imaginar.

    Após a Quarta Guerra Mundial, em um futuro não definido, o país que conhecemos hoje como Estados Unidos já não existe mais. Ele deu lugar a Illéa, um país monarca que possui sua sociedade dividida em castas, que vão desde a “Um” – a realeza – até a “Oito” – que é formada por sem-tetos e pedintes. As castas são definidas por nascimento, porém, quando a país tem um herdeiro homem se dá início a um evento chamado de “A Seleção”. A Seleção é a oportunidade perfeita para uma jovem subir na vida, se tornar rainha, e, de quebra, ganhar o coração do futuro rei. O evento ocorre dentro do próprio palácio real e é transmitido como um reality show, onde as 35 garotas escolhidas conhecem o príncipe, e vão aprendendo como será sua vida se for a escolhida por ele. Algumas entram na Seleção pelo dinheiro, outras almejam a fama e o amor do príncipe – mas America Singer não queria nada disso.
    America é uma adolescente da casta Cinco – composta por artistas e cantores – e tem horror a menção da palavra realeza. Ela está mais do que satisfeita com o futuro que acredita que terá, e não poderia estar mais apaixonada. Aspen, com quem ela namora escondido há mais de dois anos, é um amigo querido da família, porém, pertence a casta Seis – dos serventes – e um relacionamento entre castas diferentes é praticamente impensável e altamente desaprovado. A condição social dos dois – especialmente de Aspen – beira à pobreza, e isso fica muito claro desde o início. Após uma série de acontecimentos, o moço decide terminar o relacionamento e America acaba se inscrevendo para a Seleção, acreditando que nunca seria uma das escolhidas. Tudo muda drasticamente, entretanto, quando ela é selecionada como uma das 35 garotas que irão disputar pelo coração do príncipe, e precisa largar a vida que conhece para viver por tempo indeterminado no palácio real, cercada por regras, sujeita a ataques dos rebeldes e, quase tão ruim quanto isso, aos ataques das outras 34 meninas onde todas estão dispostas a ir muito longe para se tornar a próxima rainha de Illéa.

    Já estava de olho no livro há algum tempo, e o motivo é extremamente justificável: independentemente da idade, quem de nós que não se deixa encantar facilmente por príncipes, reis e rainhas? A premissa da história é tão boa que acho difícil não bater aquela vontade de ler, apesar de todo o clichê aparente da trama.
    A Seleção é narrado em primeira pessoa por America, que se mostra uma narradora tremenda. Sobre a moça, é possível sentir claramente as dúvidas, alegrias e tristezas da personagem, que tem uma personalidade única. Apesar disso, ainda é difícil para eu decidir se gostei ou não da America, e irei tentar explicar isso: ela é corajosa, humilde e bastante inteligente, demonstrando uma bondade natural que conquista o leitor na hora. Consegui acompanhar as atitudes dela depois de algumas páginas, e até mesmo concordar com a maioria delas. Porém, em algumas partes do livro, fica difícil acreditar em como uma pessoa tão inteligente possa ser tão obtusa. Isso acontece acerca do fim do livro, quando a personagem tem uma crise de consciência e não sabe mais de nada: nem o que está fazendo no palácio, nem se gosta do Aspen ou do Maxon, muito menos se tem certeza de que pode ser uma princesa.
    O livro tem um triângulo amoroso bem claro, e isso me incomodou um pouco, apesar de já ter iniciado a leitura sabendo disso (e nunca ter sido muito fã de triângulos). Maxon, o príncipe, é (ao contrário de tudo o que America imaginava) um perfeito cavalheiro, atencioso e simpático. O relacionamento dele com a ela evolui de forma sensata e verdadeira, o que foi bastante agradável de ler. Porém, no que o relacionamento da moça com Maxon acerta, o com Aspen peca. A autora simplesmente não conseguiu passar a emoção que deveria, e, mesmo que mencionado várias vezes que eles são apaixonados há dois anos, há tão pouca descrição do romance que tudo acaba se tornando apelativo demais. A personalidade do moço também me desgostou muito: ela é mandão, um tanto machista e possui certa arrogância, e mesmo que consegui entender suas atitudes na trama, não consegui concordar com elas.
    Kiera Cass usou com maestria alguns clichês que já sabemos de cor, conseguindo, apesar de tudo, prender o leitor na história de um jeito inimaginável. Eu li os dois primeiros livros da série em menos de 24 horas, apenas porque há algo na trama que você não consegue deixar de pensar. Não é um livro para se refletir, e, em minha opinião, é mais um romance do que uma distopia – é claro, a política e o governo são citados, mais ainda muito vagos nesse primeiro volume – mas serviu perfeitamente para o propósito que eu tinha para ele: distrair-me.
    Além do meu problema com a relação de America e Aspen, tenho apenas um ponto negativo para citar sobre o livro, que é o jeito abrupto com que ele termina. É claro que por ser uma trilogia é esperado que muito pouco da história seja revelado de cara, mas gostaria que mais coisas tivessem sido esclarecidas – ou acontecido! –, e o livro não ficasse tanto tempo nas indecisões e devaneios da America.
     Com personagem simples, uma boa trama e bastante romance, Cass conseguiu criar um exemplo perfeito de “livro chiclete” – o tipo de livro que não tem a melhor narração nem os melhores personagens, mas é apenas impossível de largar. É um livro com sentimentos abundantes, descobertas e paixão, e recomendo a todos que desejam se perder – nem que for por algumas horas – a esse mundo no estilo de contos de fadas.
Primeiro parágrafo do livro:
"Minha mãe entrou em êxtase quando pegamos a carta no correio. Ela já tinha decidido que todos os nossos problemas estavam solucionados, tinham desaparecido para sempre. O grande empecilho em seu plano brilhante era eu. Eu não me considerava uma filha muito desobediente, mas também não era uma santa.Não queria ser da realeza. Não queria ser Um. Não queria nem tentar."
Melhor quote:
"Eu não vou lutar. Meu plano é aproveitar a comida até me expulsarem."


Olá, leitores. A novidade abaixo é especial para todos os pacientes fãs de Academia de Vampiros, série escrita pela Richelle Mead.  Depois de longos anos de espera, finalmente o primeiro trailer do filme foi divulgado! Vamos conferir?


Sinopse do primeiro volume da série - Beijo das Sombras: Lissa Dragomir é uma adolescente especial, por várias razões: ela é a princesa de uma família real muito importante na sociedade de vampiros conhecidos como Moroi. Por causa desse status, Lissa atrai a amizade dos alunos Moroi mais populares na escola em que estuda, a São Vladimir. Sua melhor amiga, no entanto, não carrega consigo o mesmo prestígio: meio vampira, meio humana, Rose Hathaway é uma Dampira cuja missão é se tornar uma guardiã e proteger Lissa dos Strigoi - os poderosos vampiros que se corromperam e precisam do sangue Moroi para manter sua imortalidade.Pressentindo que algo muito ruim vai acontecer com Lissa se continuarem na São Vladimir, Rose decide que elas devem fugir dali e viver escondidas entre os humanos. O risco de um ataque dos Strigoi é maior, mas elas passam dois anos assim, aparentemente a salvo, até finalmente serem capturadas e trazidas de volta pelos guardiões da escola.Mas isso é só o começo. Em O beijo das sombras, Lissa e Rose retomam não apenas a rotina de estudos na São Vladimir como também o convívio com a fútil hierarquia estudantil, dividida entre aqueles que pertencem e os que não pertencem às famílias reais de vampiros. São obrigadas a relembrar as causas de sua fuga e a enfrentar suas temíveis consequências. E, quem sabe, poderão encontrar um par romântico aqui e outro ali. Mais importante, Rose descobre por que Lissa é assim tão especial: que poderes se escondem por trás de seu doce e inocente olhar?Richelle Mead dá uma nova face à literatura vampiresca com este romance: mais ácida, apimentada e inteligente do que nunca, a saga dos Moroi e seus guardiões surpreende pelas reviravoltas e pela ousadia desses cativantes personagens.

Gostaram da novidade, leitores? Infelizmente fiquei bem decepcionada com os atores e o estilo do filme, que - em minha opinião - fugiu totalmente do estilo/clima da série. Mas espero que não tenham se decepcionado como eu. É horrível ver uma de suas séries favoritas ser adaptadas de modo ruim ou diferente. Contudo, pretendo assistir mesmo assim. Talvez o filme compense em algumas partes! 








Oi, pessoal! Já estamos quase na metade de Agosto, e é a época do mês em as editoras lançam seus livros. Confiram os super lançamentos que a Editora Novo Conceito preparou para esse mês, e não esqueça de nos dizer nos comentários qual seu favorito!

Uma Prova de Amor – Emily Giffin
Primeiro vem o amor, depois vem o casamento e depois… os filhos. Não é assim? Não para Claudia Parr. A bem-sucedida editora de Nova York não pretende ser mãe, e até desistiu de encontrar alguém que aceite esta sua escolha, mas, então, ela conhece Ben.
O amor dos dois parece ideal. Ben é o marido perfeito: amoroso, companheiro e — assim como Claudia — também não quer crianças. No entanto, o inesperado acontece: um dos dois muda de ideia a respeito dos filhos. E, agora, o que será do casamento dos sonhos? Uma Prova de Amor é um livro divertido e honesto sobre o que acontece ao casal perfeito quando, de repente, os compromissos assumidos já não servem mais. Contudo, é também uma história sobre como as coisas mudam, sobre o que é mais importante, sobre decisões e, especialmente, sobre até onde se pode ir por amor.






Eu compro, sim! – Pedro de Camargo
Entenda o comportamento do consumidor e aprenda a comprar com consciência! Este é um livro divertido. O tipo de livro que a gente tem que ler nem que seja só para continuar uma conversa quando aqueles terríveis momentos de silêncio se instalam entre os interlocutores. Mas, além disso, este é um livro sério, muito sério. (Antes de começar a lê-lo, vale a pena dar uma olhada nas referências bibliográficas). A proposta sensacional de Pedro de Camargo é demonstrar, da forma mais simples possível, como nosso comportamento de consumo está diretamente ligado aos neurotransmissores responsáveis pelas sensações de prazer.
Parece complicado, mas sob a escrita de Camargo você vai compreender perfeitamente alguns de seus comportamentos pouco ortodoxos, embora comuns, como assaltar a geladeira em noites mais frias, ou comprar aquele monte de bobagens que nunca, em toda a sua vida, pretendeu usar… E, como cortesia, com as dicas no fim de cada capítulo é possível aprender a combater seus próprios neurotransmissores endoidecidos — e consumistas — e conquistar o orçamento saudável com que sempre sonhou.






Claro que Te Amo! – Tammy Luciano
Piera tem certeza: está cometendo a maior loucura da sua vida ao assistir, escondida, ao casamento de seu
ex-noivo. Depois de seis anos de relacionamento, entrar de penetra na comemoração foi tudo que André deixou para ela. E olhar a cena não a faz feliz, mas encerra uma fase de sua vida. Hora de recomeçar.
Mas como recomeçar se seu coração está cheio de dor? Envolver-se com a história de Piera é como descobrir que sempre há um lado muito bom a ser revelado… Mesmo que tudo pareça tão difícil.
Se Você fosse Minha – Bella Andre
Zach, o mais arredio dos Sullivan, é mecânico e corredor de pistas de alta velocidade. Suas únicas preocupações são: como gastar seu dinheiro e com que mulher passar a próxima noite… Até que ele recebe a difícil tarefa de cuidar do filhote de yorkshire de seu irmão por duas semanas — um total contratempo para um homem como ele. Mas Zach não tem como negar este favor a Gabe e, muito a contragosto, acaba aceitando cuidar de Ternurinha, a cachorrinha que, para piorar, é um terror e certamente precisa de treinamento. Heather Linsey não acreditava que teria de treinar o fi lhote do arrogante Zach Sullivan. De todos os homens que já conhecera, Zach era o mais atrevido. Palavras como arrogante, esnobe, pretensioso cabiam especialmente bem no mecânico da família Sullivan. Além disso, a beleza e o charme de Zach eram desconcertantes e a atração entre eles, inevitável… Heather estava francamente disposta a negar esse trabalho, mas teve que pensar duas vezes antes de recusar, pois fora indicada por uma grande amiga. De qualquer forma, ela sabia que podia controlar as investidas de Zach Sullivan, caso ele se mostrasse desrespeitoso. O que ela não sabia é que sua rejeição ia despertar os mais profundos e obstinados desejos no mecânico…




Olho por Olho – Jenny Han & Siobhan Vivian
Alguma vez você já quis realmente se vingar de alguém que a ofendeu? Talvez uma ex-amiga que a apunhalou pelas costas, ou um namorado traidor, ou um estúpido da escola que a humilhou desde que você era pequena… Alguma vez você já sonhou em envergonhá-lo na frente de todos? E, então, alguma vez você se uniu com outras duas pessoas para criar um elaborado esquema de destruição e revanche? A maior parte de nós não pode dizer que sim a todas essas perguntas (felizmente). Mas, certamente, todos nós somos capazes de nos identificar com muitos dos sentimentos de Kat, Lillia e Mary em Olho por Olho… No entanto, de um exercício de malícia, de uma simples brincadeira adolescente, o jogo do “aqui se faz, aqui se paga” poderá assumir proporções trágicas, em que até mesmo as leis da natureza vão se dispor, misteriosamente, a acalmar os corações ofendidos. Deixe-se levar por uma genuína história sobre o certo e o errado, o justo e o injustificável e procure entender — se possível — os verdadeiros motivos que transformaram estas três meninas. Dramático, honesto e fascinante, este é um livro que ultrapassa todas as expectativas!



Ela é uma Fera – Marina Carvalho
No interior de Minas Gerais, Clara, uma menina de traços delicados, rosto de porcelana e cabelos dourados tem muitos admiradores, inclusive Henrique, o menino mais popular da escola que fará de tudo pra poder sair com ela, inclusive trapacear…É que o pai de Clara colocou na cabeça que sua filha mais nova só poderá sair com um menino depois que sua filha mais velha, Carolina, arrumar um namorado.
Parece simples: basta que Henrique arrume um “namorado” para Carol e siga com seu sonho de ficar com Clara.
Determinado, Henrique arruma o tal namorado para Carol: Pedro, o badboy.
Mas o que nem Henrique, nem Clara, nem Pedro imaginavam é que a intragável Carol iria se comportar como uma insuportável ao lado de Pedro — e jogar água em todos os planos de romance de Henrique e Clara.
Caberá a Pedro dar um bom resultado a esta situação, mas será que ele vai conseguir conquistar o coração de gelo de Carol e, finalmente, domar a megera?
Ela é uma fera! é uma releitura escrita pela autora Marina Carvalho do clássico A Megera Domada de William Shakespeare


A Outra Vida – Susane Winnacker
O mundo de Sherry — de uma hora para outra — mudou completamente. Por causa de um vírus muito contagioso, as pessoas que ela costumava conhecer, e quase todas as pessoas de sua cidade, Los Angeles, na Califórnia, se transformaram em mutantes assustadores.
Esses mutantes têm uma força excessiva, são ágeis, o corpo é coberto de pelos, eles lacrimejam um líquido imundo e… comem gente! Portanto, não há muito o que fazer — talvez tentar fugir — quando se encontra algum deles. A não ser que você tenha ao seu lado a força e a determinação de um jovem como Joshua.
Joshua perdeu uma irmã para os mutantes e sua raiva é tão grande que ele seria capaz de vingar todos aqueles que perderam alguém para as criaturas. No entanto, para que esta revanche aconteça, é preciso prudência. Afinal, até que ponto a disseminação deste vírus foi uma coisa realmente natural? Que poderosos interesses estão por trás desta devastação? E será que Joshua e Sherry conseguirão ter a cautela necessária para lutar contra as criaturas justo agora que seus corações estão agitados pelo começo de uma paixão?

Manuscritos do Mar Morto – Adam Blake
A ambiciosa policial Heather Kennedy está em seu trabalho mais difícil: seus métodos de investigação são criticados e ela está sendo assediada por colegas rancorosos porque não lhes dá atenção.Até que lhe é atribuída o que parece ser uma investigação de rotina, sobre a morte acidental de um professor da Faculdade Prince Regent, mas a autópsia deste caso volta com algumas descobertas incomuns: o inquérito vincula a morte deste professor às de outros historiadores que trabalharam juntos em um obscuro projeto sobre um manuscrito do início da Era Cristã. Em seu escritório, Kennedy segue com sua investigação e logo se preocupa com o rumo para onde está sendo levada. Mas ela não está sozinha em sua apreensão. O ex-mercenário Leo Tillman — seu futuro parceiro — também tem angustiantes informações sobre estes crimes. E sobre a misteriosa organização mundial a que os crimes se relacionam… Escondido entre os pergaminhos do Mar Morto, um códice mortal pretende desvendar os segredos que envolvem a morte de Jesus Cristo. Entre um terrível acidente de avião no deserto americano, um brutal assassinato na Universidade de Londres e uma cidade-fantasma no México, Manuscritos do Mar Morto é o mais emocionante thriller desde O código Da Vinci.

Tipo Destino – Susane Colasanti
Lani e Erin são melhores amigas, embora não tenham muito a ver uma com a outra. Lani é uma taurina tranquila e Erin é a impetuosa leonina. Uma adora Astrologia (e outras artes adivinhatórias também) e ficar em casa; a outra gosta de pessoas e baladas. Suas preferências — incluindo pizzas e meninos — são bastante diferentes, ou eram, até que Erin começou a namorar Jason…
Assim que Lani conheceu o namorado de Erin, sentiu uma enorme conexão com ele. Uma sensação de que já se conheciam a vida toda. E, apesar de acreditar que ele sentia o mesmo, ela sempre soube que Jason estava fora de cogitação, afinal, ele era quem ele era! Ela decidiu ignorar seus sentimentos. Não importava o quanto quisesse ficar perto de Jason, nada a demoveria da ideia de se manter distante dele. Então, Erin viajou durante todo o verão…


A Editora Verus divulgou a capa de Profundezas, terceiro volume da saga Sereia, de Tricia Rayburn. A editora ainda não definiu o mês de lançamento, mas é provável que o livro saia entre setembro e outubro. Confira a capa e a sinopse:

Sinopse: Um ano depois dos acontecimentos que mataram sua irmã e transformaram Vanessa em sereia, ela tenta desesperadamente manter sua família unida e retomar a vida “normal”. Mas, não importa quantas vezes mergulhe ou quanta água salgada beba, Vanessa se sente cada vez mais fraca. Ela não tem ideia de como viver na condição de sereia e não quer mais ter que lidar com sua recém-descoberta identidade. É tudo assustador demais.
De volta a Winter Harbor para passar o verão, as lembranças do ex-namorado, Simon, estão em toda parte. Vanessa o ama e faria tudo para que o relacionamento desse certo. Mas como pode pedir que ele a aceite de volta, se ela é uma criatura que só trará mais problemas a ele? E como Simon poderá amá-la quando descobrir a terrível verdade: que, para permanecer viva, Vanessa precisa satisfazer seus desejos de sereia, não importando quem saia machucado?
Arrepiante e ao mesmo tempo romântico, Profundezas explora questões de identidade tão antigas quanto o mar e encerra de maneira apaixonante a trilogia Sereia.
O que acharam, leitores? Amei a capa e vou, sem duvidas, investir na série! E vocês? Gostaram da capa e da sinopse? 




Livro: De Volta Para Casa
Título original: Falling Home
Autor (a): Karen White
Editora: Novo Conceito
Páginas: 448
ISBN: 9788581632414
Cassie Madison fugiu de Walton, Geórgia, para Nova York quando soube que sua irmã, Harriet, e seu amor, Joe, tinham-na traído e iam se casar. Ao chegar em Manhattan, sua ideia era se reinventar, mergulhar de cabeça na carreira e até mesmo perder o sotaque provinciano. Tudo para apagar seu passado marcado pela traição e por uma família que não lhe tratara com o devido cuidado. Mas, numa noite, um único telefonema de sua irmã trouxe de volta tudo que ela pretendia esquecer. Com o pai muito doente, ela foi obrigada a fazer a viagem de volta e, enquanto arrumava as malas, seus maiores medos eram que o pai morresse sem que ela pudesse estar com ele e... Encontrar a família feliz que Harriet e Joe tinham construído. Já em Walton, Cassie percebe que enfrentará uma imensa batalha particular, porque, afinal, ela não consegue deixar de amar seus sobrinhos — e nem deixar de se sentir em casa, naquela cidadezinha de sua infância. Enquanto se divide entre o rancor e a esperança, velhas e queridas lembranças e uma mágoa insustentável, o destino arrumaria uma forma de aproximá-la do que realmente importa: o verdadeiro amor.

    Cassandra Madison passou por uma experiência que ninguém deseja passar: aos vinte anos ela perdeu o chão ao descobrir que seu namorado, Joe, havia fugido com sua irmã mais nova, Harriet, e ambos haviam se casado de um dia para o outro. Essa traição mudou drasticamente a vida de Cassie, que, envergonhada e cheia de amargura, se mudou para o mais longe possível de sua pequena cidade natal, e nunca mais apareceu por lá.
    Agora ela vive em Nova York e tem uma vida completamente diferente. É uma mulher de negócios que perdeu o sotaque sulista e as manias do interior, além de ser noiva de Andrew, o seu rico chefe. Ela e o pai viajam para encontrarem-se todos os anos, mas esses planos sofrem uma abrupta mudança quando ela recebe uma ligação da irmã com quem nunca mais conversou.
    Cassie descobre que seu pai está muito doente e que quer vê-la, e precisa enfrentar seus demônios para conseguir voltar sua antiga cidade e se despedir do pai. Depois de longos quinze anos, ela irá conhecer a grande família de Harriet, e testemunhar a felicidade intensa que a irmã parece viver. Entretanto, o que era para ser uma breve visita acaba se prolongando quando Cassie descobre que o pai deixou para ela sua antiga casa. Agora ela precisa cuidar da venda da casa, além de ter que lidar com a nova situação que está vivendo.

    Primeiramente, De Volta Para Casa não era nada do que eu estava esperando quando iniciei a leitura. Eu esperava uma personagem pela qual ficar com dó, com uma irmã malvada que não se arrependia do que havia feito. É claro que me enganei completamente.
    Cassie é inteligente e independente, mas acima de tudo ainda sofre com o que aconteceu entre ela e sua irmã tantos anos atrás. Quando ela volta para a Georgia, vê tudo o que passou há anos sendo esfregado em sua cara: o casamento perfeito da irmã, a vida simples que ela leva e seus vários filhos. No começo é difícil entender exatamente o que se passa e apenas ficar completamente do lado de Cassie – mas, após entender a dualidade da história, é impossível odiar Harriet. Obviamente nos sentimos complacentes a dor de Cassie, mas Harriet tem atitudes singelas e zela tanto pelo bem estar da irmã que podemos ver o quanto ela está triste por tê-la magoado.
    Outra vez, o ponto alto do livro de Karen White são os personagens. Eles são tão reais, tão bem construídos que é emocionante acompanhar a jornada de cada um. A autora conseguiu com maestria retratar uma cidade pequena, com as personalidades excêntricas e a solidariedade característica de cada cidadão. A narração do livro alterna entre Cassie, Harriet e Maddie, a filha mais velha de Harriet que tem uma grande admiração pela tia que nunca havia conhecido. Essa grande variedade de pontos de vistas nos mostra o drama da família Madison de maneira ampla, e vemos que não é apenas Cassie que precisa lutar com seu passado.
    A história do livro não fica apenas por aí, porém. Entre a história das irmãs, temos um misterioso dono de uma imobiliária que quer destruir a casa que agora é de Cassie e renovar a cidade, um mistério sobre um possível irmão perdido da família Madison e o relacionamento de Cassie com Sam, um antigo colega de escola que hoje é o médico da pequena cidade.
   O relacionamento dos dois e a personalidade de Sam são incríveis. Ele é paciente, bondoso e carinhoso com ela, mas consegue ser voluntarioso e não tem medo de defender o que acredita. É, literalmente, o tipo de personagem masculino que nos deixa apaixonadas, com seus olhos azuis e sorriso perfeito. Você irá rir com as brigas dos dois, e suspirar com os momentos fofos do casal. 
    É sem dúvidas um livro completo, com mistérios, romance e drama. O final do livro é inesperado e me tocou de uma forma imaginável, e não tenho qualquer outra palavra para descrever a história a não ser fascinante. Ri, chorei e fiquei zangada durante a leitura, e, quando ela acabou, não pude deixar de desejar mais páginas.
    A diagramação do livro ficou perfeita, e não me lembro de ter encontrado nenhum erro durante a leitura. O trabalho da Editora Novo Conceito com a capa é notável, já que ela ficou belíssima e combina perfeitamente com a história e o contexto. As páginas amareladas e a fonte com o tamanho perfeito contribuem altamente para uma leitura muito agradável.
    De Volta Para Casa se tornou um de meus livros favoritos, escrito de uma forma singular, singela, e a autora ganhou grande destaque em minha lista de preferidos. Preciso dizer que está altamente recomendado?
Primeiro parágrafo do livro:
"Cassie estava sonhando de novo. Sonhava com os verões de antigamente: os verões de pés descalços, joelhos ralados e sorvetes de pêssegos caseiros que escorriam pelo queixo e deixavam os dedos melados. Tia Lucinda tocou o sino chamando para o jantar e Cassie e Harriet apostaram uma corrida pelo gazebo em direção à varanda dos fundos, as pernas bronzeadas elevando-se sob os brancos vestidos de verão. O som estridente da campainha em seus sonhos parecia tão real que Cassie sentiu que podia tocar no metal gelado e fazê-la parar."
Melhor quote:
"... – Ele disse que tudo bem eu estar perseguindo o final do arco-íris desde que nunca me esquecesse onde ele começava."
 


Olá, pessoal! Essa Caixa de Correio (um pouco atrasada, confesso!) mostra os livros que recebemos mês passado da Editora Novo Conceito. O post era para ser em vídeo, mas ocorreram alguns problemas e esse é o motivo do atraso. De qualquer jeito, confiram os lindos livros que chegaram!

De Volta Para Casa, de Karen White, e um pingente em forma de três coraçõezinhos acompanha o livro. Estava muito ansiosa para esse, já que li Após a Tempestade da autora e adorei. Em breve teremos resenha!

A Garota do Penhasco, de Lucinda Riley.O livro é grandinho, mas já andei escutando comentários ótimos sobre ele, e quero ler em breve.

O último livro da série Beijada Por Um Anjo, que vem junto com uma almofada inflável super charmosa. 

A Menina que Semeava, minha leitura atual. Junto com o livro veio uma essência de "Tamarisk", o nome do mundo encantado que a protagonista e seu pai criaram. 

Refém da Obsessão, a continuação de Ladrão de Almas. É a leitura atual da Letícia!

E, por fim, Aconteceu Em Paris, da Molly Hopkins, que vem junto com uma almofada para viagens. Muito legal! 

E aí, quais lançamentos vocês gostaram mais? 


Li ate a pagina 100 - ELEC
"Li Até a Página 100 e..." é uma tag criada pelo blog Eu leio, eu Conto e o objetivo é responder as perguntas sobre a sua leitura do momento, depois que chegar na página cem do livro.
 Quem achou interessante e quiser fazer também, é só pegar o banner acima e dar os devidos créditos ao blog criador da tag. Já vi vários blogs fazendo e é uma ideia super interessante, então resolvemos aderir também. Vamos lá?

A MENINA QUE SEMEAVA - LOU ARONICA

Primeira frase da página 100: 
"Você pode me chamar de Miea."

Do que se trata o livro? 
"Chris Astor é um homem de seus quarenta e poucos anos que está passando pelo mais difícil trecho de sua vida. Ele tem uma filha, Becky, de 14 anos, que já passou imensas dificuldades até chegar a se tornar uma moça vibrante e alegre, mas que parece que terá que enfrentar mais um grande problema em sua vida. Quando Becky era pequena e teve câncer, Chris e ela inventaram um conto de fadas, uma fantasia infantil que adquiriu vida e tornou-se um terrível, provavelmente fatal, problema. Agora, Chris, Becky e Miea (a jovem rainha da fantasia criada por pai e filha) terão que desvendar um segredo: o segredo de por que seus mundos de fantasia e realidade se juntaram neste momento. O segredo para o propósito disso tudo. (...) É um segredo que, se descoberto, irá redefinir a mente de todos eles. (...)"
O que está achando até agora? 
Apesar de o ritmo da leitura ser um pouco lento, o livro está melhorando muito. A premissa da história é muito boa e a escrita é simples e de fácil entendimento. Becky é é meio imatura as vezes, mas isso é esperado, já que ela tem 14 anos. Estou gostando bastante, apesar de esperar que a leitura melhore. 

O que está achando da protagonista? 
O livro alterna a narração entre Becky, seu pai, Chris, e a rainha do conto de fadas criado por eles, Miea. Becky tem 14 anos e é um pouco imatura, mas a personagem tem seu charme. Chris é um personagem mais complicado, com alguns traumas e um pouco deprimido pela falta de comunicação com a filha. Por enquanto, minha personagem preferida é a rainha, Meia, que se mostrou bastante corajosa e decidida. 

Melhor quote até agora: 
"Eles chamaram o reino de Tamarisk - por causa de uma árvore que Becky adorava, de um de seus livros de figuras sibre a vida das plantas que Chris havia comprado para ela -, a história evoluiu de várias maneiras ao longo dos anos seguintes (...)"

Vai continuar lendo? 
Com certeza! A leitura está um pouco devagar já que estou lendo ao mesmo tempo "A Dança dos Dragões", do George R. R. Martin, mas não irei parar não.

Última frase da página:
"Ela olhou para o espaço sem luz que a levava até Becky."


.