A editora Seguinte divulgou nas redes sociais que os livros Fiery Heart Silver Shadows, o quarto e quinto livro da saga Bloodlines, de Richelle Mead, tem previsão de lançamento, respectivamente, para a Bienal e o começo de 2015.
A editora recentemente lançou os três primeiros livros da saga, e o selo adulto, Paralela, publicou Tabuleiro dos Deuses, primeiro da saga Age of X, da autora.



Sinopse: Em Indigo Spell, Sydney estava dividida entre a vida de Alquimista e o que seu coração precisava. E em um momento eletrizante que os fãs de Richelle Mead jamais esquecerão, ela fez uma decisão que chocou até a si mesma…
Mas a luta ainda não acabou para Sydney. Enquanto lida com suas decisões, ela continua encontrando a si mesma sendo puxada em várias direções ao mesmo tempo. Sua irmã Zoe chegou, e mesmo Sydney querendo se aproximar dela, ainda há muito o que manter em segredo. Trabalhar com Marcus mudou a forma como vê os Alquimistas, e Sydney deve ser cuidadosa enquanto enquanto usa sua capacidade mágica para minar a forma de vida que cresceu aprendendo a proteger. Consumida pela paixão e vingança, Sydney se esforça para manter sua vida secreta em segredo enquanto a ameaça de exposição e reeducação são maiores que nunca.








Sinopse: Em The Fiery Heart, Sydney arriscou tudo para seguir seus instintos, caminhando por uma linha perigosa para manter seus sentimentos escondidos dos alquimistas.
Agora com as consequências do evento que virou seu mundo, Sydney e Adrian lutam para recolher os pedaços e encontrar o caminho de volta um para o outro. Mas primeiros, eles precisam sobreviver.
Para Sydney, presa e rodeada por adversários, a vida se converte em uma luta diária para ser fiel a quem é e aqueles que ama.
Enquanto isso, Adrian se apega a esperança no rosto das pessoas que dizem que Sydney é uma causa perdida, mas a batalha mostra-se cada vez mais difícil enquanto velhos demônios e novas tentações começam a se apoderar dele.





O que acharam da novidade? Quem aí já leu algum livro da Richelle Mead? Eu considero ela uma das melhores autoras de fantasia! 






Livro: A Filha do Sangue
Título original: The Daughter of Blood
Autor (a): Anne Bishop
Editora: Saída de Emergência Brasil
Páginas: 432
ISBN: 9788567296104
O Reino Distorcido se prepara para o cumprimento de uma antiga profecia: a chegada de uma nova Rainha, a Feiticeira que tem mais poder que o próprio Senhor do Inferno. Mas ela ainda é jovem, e por isso pode ser influencidade e corrompida. Quem a controlar terá domínio sobre o mundo. Três homens poderosos, inimigos viscerais - sabem disso. Saetan, Lucivar e Daemon logo percebem o poder que se esconde por trás dos olhos azuis daquela menina inocente. Assim começa um jogo cruel, de política e intriga, magia e traição, no qual as armas são o ódio e o amor. E cujo preço pode ser terrível e inimaginável.
TRILOGIA "AS JOIAS NEGRAS"
    1.  A Filha do Sangue
    2.  Heir to the Shadows (ainda sem previsão de lançamento no Brasil)
    3.  Queen of the Darkness (ainda sem previsão de lançamento no Brasil)

    Primeiro de tudo, afirmo que a sinopse do livro não cobre nem a metade do cenário inicial. Vou dizer que não tentarei explicar muito profundamente A Filha do Sangue. Explicar esse livro seria, mais ou menos, como tentar resumir  “As Crônicas de Gelo e Fogo”: é impossível contar a história e abranger tudo o que deveria, já que ela é extremamente complexa. 

    Os Sangue são uma espécie mágica que vive em uma sociedade matriarcal. Inicialmente foram criados para serem protetores do reino e servirem as Trevas, contudo, ao longo dos anos, os mais ambiciosos chegaram ao poder e todos sofreram sob o comando de Rainhas cruéis. A sociedade atual consiste nessas fêmeas tirânicas no poder, quando qualquer macho poderoso, que poderia ter sido uma ameaça ao sistema, é dominado e torna-se um escravo sexual. 
   O poder dos Sangue precede de pedras chamadas Joias – sendo que, quanto mais escura sua joia, mais poderoso você é –, e cada indivíduo possui duas: uma, recebida como um Direito de Progenitura, e outra, que pode ser “evoluída” três níveis acima da sua de direito. A magia desse povo é chamada de Arte. 
   Centenas de anos atrás, uma profecia foi feita. Uma Rainha, A Feiticeira, chegaria, e o seu destino seria governar o povo de Teirelle da maneira correta, destruindo a sociedade corrompida que agora existe. Tal Feiticeira, de fato, chega; contudo, ela ainda não passa de uma menina. Dona de tamanho poder nunca antes visto, Jaenelle é um extramente talentosa, mas ainda é vulnerável, jovem e inocente – estando, assim, sujeita a influências que podem corrompê-la.
    Cabe agora a três homens – príncipes do Sangue, machos muito poderosos –, que estão destinados a servir a Feiticeira de direito, a instruírem para o caminho correto. Cada um deles possui um passado tormentoso e almas desfiguradas. Saetan, o Senhor Supremo do Inferno, e seus dois filhos, Daemon, O Sádico, e Lucivar, precisam lutar contra seus próprios demônios para ajudar Jaenelle: e, ao mesmo tempo, protegê-la do perigo que representa a si mesma.

     Não consigo lembrar do último livro que me empurrou para fora de minha zona de conforto como A Filha de Sangue fez. Anne Bishop escreveu uma obra magistral, possuidora de um mundo extremamente original e fantástico. A autora possui um talento de poucos: ela consegue, em algumas páginas, transportar o leitor a um mundo único, e, de tal modo, totalmente estranho, mas do qual é impossível de duvidar.
    A narração é em terceira pessoa, contudo, o interessante sobre a história é que nada é narrado pela perspectiva da Jeanelle, a protagonista. Os fatos são contados por outros personagens, os encarregados de guiá-la e auxiliá-la nessa iminente jornada, ou, até mesmo, por aqueles que desejam sua destruição. 
   A quantidade de realismo imposto no livro é enorme, e, algumas vezes, chocante. Trata-se de um livro sombrio, que, de modo paradoxal, é também sobre esperança e amor. É cheio de cenas explícitas, tortura, insinuações sexuais, violência, crueldade é até mesmo abuso infantil. Bishop faz seus personagens passarem por situações perversas, que não devem funcionar para todos os leitores. É preciso estômago para ler o livro, e, especialmente, lidar com a ideia de algumas das crueldades presentes.

"– Não. Somos o que somos. Nem mais, nem menos. O bem e o mal existem em todos os povos. Atualmente, quem domina é o mal que existe entre nós."
  Um ponto alto de A Filha do Sangue são seus personagens, e a complexidade que eles carregam – características humanas, é claro, mas que muitas vezes são deixadas de lado na ficção. Ninguém é completamente bom, ninguém é de todo mau. Começando pelos três homens que devem guiar Jeanelle: Saetan é o Senhor Supremo do Inferno, e muito poderoso, tendo um passado turbulento e cruel. O carinho e amor que demonstra por Jeanelle, contudo, mostra outra faceta do homem, que a idolatra. Com Lucivar ocorre o mesmo, contudo, ninguém recebe mais destaque do que Daemon (e ninguém se mostra mais complexo do que ele, também). 
    Daemon é, na realidade, o legítimo anti-herói. Criado como um escravo sexual desde muito jovem, assim como o irmão, pode-se dizer que o homem não recebeu a reputação de Sádico a toa. Ele é agressivo, cruel e violento. Contudo, mesmo nunca deixando de lado tais características, possui um código moral e protege aqueles que ama a qualquer custo, sendo que a única coisa pela qual anseia é a Feiticeira para servir. Quando toma conhecimento de que a Feiticeira é Jaenelle, por sua vez, os sentimentos dele em relação a criança tornam-se tempestuosos – ao mesmo tempo que sabe ser errado ser atraído por uma menina de doze anos, não consegue evitar como se sente, o poder que emana dela.
    Jaenelle, por sua vez, é uma criança, mas possui dentro de si uma sobriedade impressionante. É claro, tamanho poder como o dela não viria sem um preço. A menina é atormentada, tanto pelas coisas que viu em uma idade tão tenra, mas, também, pelo sofrimento imposto por sua família, que a taxa de louca. A personagem passa por maus bocados do começo ao fim do livro, mas está claro que está destinada a algo grande. Ela precisa ser ensinada e orientada, mas vive surpreendendo seus mestres com habilidades nunca vistas e um poder enorme. 
    Chego, aqui, a um dos pontos um tanto quanto incômodos sobre o livro. Primeiramente, explico que os Sangue machos possuem um desejo intrínseco de servir, ser fiel às fêmeas, especialmente se elas forem suas Rainhas. Isso é compreensível, é claro. Contudo, o modo como os Saetan e Daemon são devotos a Jaenelle transparece um pouco mais do que apenas servidão. Saetan nem tanto, contudo, Daemon, mesmo sabendo que ela ainda é uma criança, ainda tem sentimentos amorosos em relação a ela.


Foi divulgada a capa americana de “The Revenge of Seven“, quinto volume da série best-seller “Os Legados de Lorien“, de Pittacus Lore. O livro está previsto para ser publicado nos Estados Unidos em agosto desse ano. No Brasil, a editora Intrínseca publica a saga.


Sinopse: O pior deveria ter acabado. Estávamos reunidos depois de uma década longe. Descobriríamos a verdade sobre o nosso passado. Estávamos treinando e ficando mais fortes a cada dia. Estávamos até feliz…
Nunca imaginamos que os Mogadorianos pudessem transformar um dos nossos contra nós mesmos. Fomos tolos ao confiar em Cinco. E agora Oito está perdido para sempre. Eu faria qualquer coisa para trazê-lo de volta, mas isso é impossível. Em vez disso, vou fazer o que for preciso para destruir cada um deles. Eu passei a minha vida inteira me escondendo deles, e eles levaram tudo de mim. Mas isso vai acabar agora. Nós vamos levar a batalha até eles. Temos um novo aliado que conhece suas fraquezas. E eu, finalmente, terei o poder de revidar.
Pegaram Número Um na Malásia.
O Número Um foi capturado na Malásia.
O Número Dois, na Inglaterra.
Número Três, no Quênia.
E o Número Oito, na Flórida.
Eles mataram todos eles.
Eu sou a Número Sete.
Vou fazê-los pagar.


O que acharam da novidade? Eu particularmente já abandonei essa série por ser muito longa e por não ter me conquistado logo de cara, mas conheço muitas pessoas que a seguem! Vocês já leram algum livro da série?  


 Livro: Estilhaça-me
Título original: Shatter-me
Autor (a): Tahereh Mafi
Editora: Novo Conceito
Páginas: 304
ISBN: 9788563219909 
Sinopse: Juliette não toca alguém a exatamente 264 dias. A última vez que ela o fez, que foi por acidente, foi presa por assassinato. Ninguém sabe por que o toque de Juliette é fatal. Enquanto ela não fere ninguém, ninguém realmente se importa. O mundo está ocupado demais se desmoronando para se importar com uma menina de 17 anos de idade. Doenças estão acabando com a população, a comida é difícil de encontrar, os pássaros não voam mais, e as nuvens são da cor errada. O Restabelecimento disse que seu caminho era a única maneira de consertar as coisas, então eles jogaram Juliette em uma célula. Agora muitas pessoas estão mortas, os sobreviventes estão sussurrando guerra – e o Restabelecimento mudou sua mente. Talvez Juliette é mais do que uma alma torturada de pelúcia em um corpo venenoso. Talvez ela seja exatamente o que precisamos agora. Juliette tem que fazer uma escolha: ser uma arma. Ou ser um guerreiro.

 TRILOGIA "ESTILHAÇA-ME"
    1.  Estilhaça-me
    2.  Liberta-me 
    3.  Incendeia-me (previsão de lançamento para junho)


    Juliette nunca foi uma garota comum, e o motivo é claro: o seu toque é letal. Nas poucas vezes em que a menina tocou alguém, ou a pessoa morreu, ou sentiu uma dor imensurável. Ela está há 264 dias aprisionada em uma cela, sem ter contato com nenhum ser humano.
   Quando Adam, um rapaz alto, forte, bonito e estranhamente familiar, entra em sua cela, Juliette é surpreendida. Não há cabimento em designarem lhe um companheiro de cela, ainda mais quando ela é tão perigosa. 
   Além disso, o mundo não passa por uma situação muito boa: a atmosfera foi destruída, a vegetação extinguida, os animais, a comida e, especialmente, a água, estão escassos. O governo do mundo foi tomado pelo Restabelecimento, um grupo dominante que prometeu resolver a situação, mas apoderou-se do poder e explora os mais fracos. O que restou foi divididos em 3.333 distritos, e o que Juliette mora é comandado por Warner, um jovem, mas impetuoso, general.
   Quando a verdadeira identidade de Adam é revelada, assim como os planos que Warner possui para Juliette – ele deseja usá-la como uma arma para O Restabelecimento –, ela precisa lutar para ter a vida que sempre quis: uma vida com liberdade. 

    Estilhaça-me não é um livro fácil de ser esquecido. Apesar de ser uma distopia, o livro não é tão focado no que acontece ao redor da personagem principal, mas sim nos seus conflitos internos. De tal modo, o início é extremamente confuso, contudo, vamos aos poucos nos acostumando com a personalidade um tanto atordoada de Juliette.
    A singularidade da obra já se mostra presente na narrativa, que é diferente de tudo que já li. Juliette está quebrada – confusa, isolada e a beira da loucura. O modo pelo qual a autora resolveu demonstrar tudo isso foi extremamente original: narrado em primeira pessoa, mas também com frases riscadas, que mostram alguns pensamentos ocultos da personagem. Além disso, é notável os imensos erros gramaticais (como a falta de vírgulas e repetições), que insinuam o estado mental caótico da protagonista. 
    Se achei a narrativa extremamente interessante? Sim. Mas preciso dizer que ela me incomodou bastante, especialmente nas primeiras cem páginas do livro, que é quando tudo está mais confuso. Depois disso, conforme Juliette vai tendo contato com mais pessoas, é possível notar uma óbvia melhora nela – como se a mente da personagem tivesse clareado. 
     Preciso esclarecer que Juliette é, essencialmente, uma boa pessoa. Uma pessoa tão boa que chega a ser irritante, na maioria das vezes. A menina se recusa a revidar os maus tratos que sofre – mesmo que pudesse, e muito bem –, independente do quão ruim seu atacante seja. É algo um tanto incômodo, sim, mas é necessário se acostumar com a mania da protagonista de pensar em todos, exceto nela mesma. Adam, por sua vez, é cavalheiresco e corajoso, e meio que equilibra a balança tentando a todo o momento salvar Juliette.


     A linguagem é poética, floreada e Tahereh Mafi abusa de metáforas. O resultado de tudo isso é algo um tanto delirante, o que é, claramente, o desejo da autora. Em média, as primeiras cem páginas do livro são passadas assim, e até aí tudo está muito interessante. O problema é que, depois disso, alguns defeitos do livro tornam-se tão gritantes que é difícil ignorá-los.
   O romance excessivo é o primeiro deles. Eu adoro romances, mesmo. Mas o que acontece entre Juliette e Adam é demais, até para mim. Tudo ocorre quase instantaneamente, e, assim, de uma hora para a outra e sem nenhuma construção, Juliette está loucamente apaixonada por Adam e morre de vontade de se jogar nos seus braços. E é claro que o mesmo acontece com ele. Eu entendo que ela nunca teve contato com ninguém, está carente, sozinha e assustada, mas aí fica um pouco implícito: será que esse “amor” entre eles não é resultado apenas da carência de Juliette?


Oi, pessoal! Como vocês estão? Com esse final de mês chegando, hoje é dia de Caixa de Correio aqui no Palácio de Livros. A caixinha está super recheada, e esses são os livros que recebemos só na última quinzena do mês! Recebemos poucos dias atrás, também, outros livros, mas para o post não ficar tão grande mostramos na próxima Caixa de Correio, ok? Vamos lá! 

 
A mais nova editora parceira do blog, a Editora Arqueiro, já enviou dois de seus lançamentos de abril. Mar de Rosas, da Nora Roberts e A Filha de Sangue, publicado pela Saída de Emergência. Detalhe para a capa inovadora de A Filha de Sangue: a capa meio que "abre", e essa abertura em moldura mostra o lado de dentro da orelha do livro. Deu para entender? rs.

Bazinga! Um Guia para a vida de Sheldon Cooper, da Editora LaFonte. Sou uma super fã da série, e fiquei muito empolgada quando o livro nos foi oferecido. Estou terminando a leitura, mas já adianto que é super divertida!

 
Um Apartamento com vista para o Mar, da autora já parceira do blog, Adriana Igrejas, e Como Viver Eternamente, da Geração Editorial. O livro está recebendo críticas incríveis, e será minha próxima leitura. Detalhe aos lencinhos que a editora enviou junto com o livro, com o recado "Tinha certeza de que precisaria de um desses". Super criativo!

Também chegou por aqui esse kit maravilhoso, de outra parceira recente do blog, a Editora Intrínseca. O livro O Segredo do meu Marido conseguiu despertar minha curiosidade, e está na lista de próximas leituras. Reparem na ecobag linda no fundo!

   
Garota Interrompida e Marina, ambos ganhos em sorteios por, respectivamente, a Le e eu. 

Os três livros da série O Círculo Secreto, que a Letícia (sortuda!) ganhou em um sorteio do blog parceiro Solstício & Equinócio.

LOMBADAS!

E quando a vocês, já leram algum dos livros citados? Quais são os seus desejados desse mês, e qual foi sua melhor compra?


           Editora Verus anunciou uma possível futura publicação. O primeiro livro da série Os Irmãos MaddoxBeautiful Oblivion, conta com a narração de Trent, irmão de Travis - o protagonista de Desastre Iminente. O Lançamento previsto para os EUA é 1º de julho.

 Já a autora, Jamie McGuire, divulgou seu mais novo New Adult (imagem à direita), Happenstanceprimeiro livro de uma saga que começa a ser publicada em Maio
O livro gira em torno de três Erins, uma completamente diferente da outra, e um romance impossível entre a garota pobre da cidade e o queridinho do povoado. Confira a sinopse abaixo:

 


Sinopse de Beautiful Oblivion: Ferozmente independente, Camille ” Cami ” Camlin saiu de sua infância antes mesmo que a mesma acabasse. Ela ocupou um emprego antes mesmo de poder dirigir, e se mudou para seu próprio apartamento após seu primeiro ano de faculdade. Agora atendendo no bar The Red Door, Cami não tem tempo para nada além do trabalho e as aulas, até que uma viagem para ver o namorado dela é cancelada, o que acaba deixando-a com o primeiro fim de semana livre em quase um ano. Trenton Maddox era o rei da Universidade Estadual do Leste, indo de encontro com alunas antes mesmo de se formar no colegial. Seus amigos queriam ser ele, e as mulheres queriam domá-lo, mas após um trágico acidente virar o seu mundo de cabeça para baixo, Trenton deixa campus para conseguir suportar sua culpa. Dezoito meses mais tarde , Trenton está vivendo em casa com seu pai viúvo e trabalha em tempo integral em um estúdio de tatuagem local para ajudar com as contas. Apenas quando ele acha que sua vida está voltando ao normal, ele percebe Cami sentada sozinha em uma mesa no The Red. Como a irmã caçula de quatro irmãos desordeiros, Cami acredita que não terá nenhum problema manter sua nova amizade com Trenton Maddox estritamente platônico. Mas quando um Maddox se apaixona, ele se apaixona para sempre, mesmo se ela é a única razão pela qual a sua família já arruinada poderia desmoronar de vez.

Sinopse de Happenstance: O livro gira em torno de Erin Easter, uma das três Erins, na pequena classe do último ano da escola secundária na rural Blackwell, e eles não somente compartilham os nomes como também seus aniversários. Erin Easter, criada por uma mãe solteira negligente, guarda para si o quanto admira Weston. Já Erin A. e Erin M. são as preferidas do povoado: as filhas das duas famílias mais ricas da cidade, as melhores amigas, as líderes de torcidas, tudo que Erin Easter não é — e nunca se esqueça disso.
Weston é uma estrela do esporte e filho de proeminentes advogados. Ele luta diariamente com as pressões que há por ser quem é e o sentimento que tem por Erin Easter, uma garota que pertence a outro lugar; a uma vida diferente. Não é até que começa a vê-la escondido de noite que começa a reconhecer seus sentimentos… tanto sobre o futuro quanto por ela.
Mas quando uma tragédia cai sob a pequena cidade, a vida de Erin se coloca de pernas para o ar da melhor forma possível. Mas quando a verdade é revelada e tudo em que Erin acredita cai em seu colo, a vida se volta ainda mais complicada.

Adorei ambas as capas! Fiquei super animada com a noticia. E vocês? Agora é só a publicação aqui no Brasil! 



 Livro: Delírio
Título original: Delirium
Autor (a): Lauren Oliver
Editora: Intrínseca
Páginas: 342
ISBN: 9788580571646
Sinopse: Muito tempo atrás, não se sabia que o amor é a pior de todas as doenças. Uma vez instalado na corrente sanguínea, não há como contê-lo. Agora a realidade é outra. A ciência já é capaz de erradicá-lo, e o governo obriga que todos os cidadãos sejam curados ao completar dezoito anos. Lena Haloway está entre os jovens que esperam ansiosamente esse dia. Viver sem a doença é viver sem dor: sem arrebatamento, sem euforia, com tranquilidade e segurança. Depois de curada, ela será encaminhada pelo governo para uma faculdade e um marido lhe será designado. Ela nunca mais precisará se preocupar com o passado que assombra sua família. Lena tem plena confiança de que as imposições das autoridades, como a intervenção cirúrgica, o toque de recolher e as patrulhas-surpresa pela cidade, existem para proteger as pessoas. Faltando apenas algumas semanas para o tratamento, porém, o impensado acontece: Lena se apaixona. Os sintomas são bastante conhecidos, não há como se enganar — mas, depois de experimentá-los, ela ainda escolheria a cura?
SÉRIE "DELÍRIO"
    1.  Delírio
    2.  Pandemônio
    3.  Réquiem (Previsto para maio desse ano)

      Imagine viver em um mundo onde o amor é considerado uma doença. E ser infectado por ela é uma sentença de morte. 
   Mais de meio século se passou depois de o amor, a amor deliria nervosa, ser decretada uma doença mortal, e alguns anos depois do decreto, os cientistas encontraram a cura para esse vírus. A chamada intervenção, quando uma pessoa recebe a cura, acontece aos 18 anos, que é a idade mais propícia para um resultado completamente eficaz. 
   Lena Haloway tem dezessete anos e mora com os tios em Portland. Ela conta os dias para receber a cura, e, finalmente, ver se livre da possibilidade de uma doença que afetou tão tragicamente sua vida – sua mãe, anos atrás, foi infectada e acabou se matando, e sua irmã mais velha adquiriu a doença alguns dias antes de sua própria cura, mas foi capturada e recebeu a intervenção antes de ser tomada pela loucura. 
    Com a certeza de que, depois de curada, viverá normalmente como todos os cidadãos de Portland, sendo designada a um par pelo Estado e criando seu lar, Lena não poderia estar mais feliz no dia de sua avaliação, alguns meses antes da cirurgia. Durante a avaliação, contudo, algo dá errado, e no meio de uma confusão Lena acaba conhecendo um lindo e misterioso garoto. Alex é aparentemente um jovem que acaba de ser curado, contudo, ninguém suspeita de que ele esconde um grande e poderoso segredo. Quando seu coração começa a lutar com o que lhe foi ensinado por toda a vida, Lena precisa fazer uma escolha que definirá quem ela realmente é – e que colocará tudo o que conhece em risco

    Delírio conseguiu chamar minha atenção primeiramente pela capa magnífica, e, depois, por sua sinopse inusitada. Sou uma grande fã de distopias, e, quando vi uma ideia tão original de enredo, é claro que precisei conferir sobre o que o livro se tratava. 
   O começo do livro é um completo choque para o leitor. É estranho como manifestamos diariamente afeto, carinho e amor sem nem mesmo nos darmos conta – nada disso acontece em Delírio. É realmente insano o modo como todos falam sobre o amor deliria nervosa, sobre seus males e riscos. O inusitado é que tudo está cravado tão profundamente dentro das mentes dos personagens – especialmente na mente de Lena –, que ninguém consegue (ou quer) pensar diferente. Para eles, é algo tão certo como o céu é azul. 
   A narração do livro é feita em primeira pessoa, por Lena, e é sem dúvidas o que estimula o leitor a continuar quando a estória ainda está um pouco “travada”. É uma das coisas que mais notei, aliás: a narrativa fluída, quase poética de Lauren Oliver. A autora explica tantos fatos do passado, desse mundo tão diferente, de um modo que não se torna enfadonho ou cansativo, mas sim extremamente interessante. 
   A princípio, tudo é um pouco solto demais, sem pistas de aonde a autora pretende chegar. Quando o livro engrena, contudo, há uma guinada enorme na estória, e é a partir desse momento que largar a leitura torna-se impossível. A forma como os fatos de desenrolam é contínua e incrível de acompanhar. 
   Lena é uma personagem que não conseguiu me conquistar, primeiramente. Não senti empatia por ela e a considerava extremamente medrosa e insegura, mas, aos poucos, a mudança nela é notável. Percebe-se que tudo o que ela pensa, o modo um tanto robótico e paranoico, é o resultado de anos e anos de mentiras – o resultado de tudo o que ela e muitos outros foram levados a crer. Mais para o fim do livro, quando já se deu conta da lavagem cerebral que todos sofreram, ela desenvolve um lado mais corajoso e inteligente, mesmo que ainda seja insegura o suficiente para irritar o leitor em certos momentos (risos).


“É o mais mortal entre todos os males: você pode morrer de amor ou da falta dele.”
    Alex, o protagonista masculino, se mostra diferente do resto desde o primeiro momento em que Lena põe os olhos nele. Ele é encantador, charmoso e inteligente, o suficiente para deixar qualquer mulher arrebatada. Minha única reserva quanto ao relacionamento dos dois é que acredito que tudo tenha sido rápido demais, sem muito tempo para um desenvolvimento completo. Apesar disso, ainda sim é incrível a maneira que o amor nasce, entre tantas dúvidas.
    Toda a trama é muito bem desenvolvida, não nos deixando duvidar nem sequer por um minuto dos acontecimentos. Você entra de cabeça na história, e isso é algo que sempre é extremamente agradável ao realizar a leitura de um livro. O problema é que, mesmo com todos esses pontos positivos, ainda há alguns acontecimentos que acabam sendo decepcionantes



Livro: O Menino dos Fantoches de Varsóvia
Título original: The puppet boy of Warsaw
Autor (a): Eva Weaver
Editora: Novo Conceito
Páginas: 400
ISBN: 9788581634173
Sinopse: Mesmo diante de uma vida extremamente difícil, há esperança. E às vezes essa esperança vem na forma de um garotinho, armado com uma trupe de marionetes – um príncipe, uma menina, um bobo da corte, um crocodilo... O avô de Mika morreu no gueto de Varsóvia, e o menino herdou não apenas o seu grande casaco, mas também um tesouro cheio de segredos. Em um bolso meio escondido, ele encontra uma cabeça de papel machê, um retalho... o príncipe. E um teatro de marionetes seria uma maneira incrível de alegrar o primo que acabou de perder o pai, o menininho que está doente, os vizinhos que moram em um quartinho apertado. Logo o gueto inteiro só fala do mestre das marionetes – até chegar o dia em que Mika é parado por um oficial alemão e empurrado para uma vida obscura. Esta é uma história sobre sobrevivência. Uma jornada épica, que atravessa continentes e gerações, de Varsóvia à Sibéria, e duas vidas que se entrelaçam em meio ao caos da guerra. Porque mesmo em tempo de guerra existe esperança.

     Mika, um judeu que vivia na acolhedora cidade de Varsóvia se vê no meio de uma guerra brutal. Sem avisos prévios, a cidade foi bombardeada e se tornou a nova casa do exército Nazista, no começo da Segunda Guerra Mundial. A partir daí, as mudanças foram terrivelmente abruptas, começando com as novas regras aplicadas aos judeus. De repente, Mika não tinha mais direito de andar na calçada, nem estudar em uma escola comum, e até a comida começou a ser controlada.
     Logo as coisas começaram a ficar piores: todos os judeus foram obrigados a se amontoarem em um gueto, independente da sua vida anterior. Da noite para o dia, todos ficaram pobres e miseráveis, poucos judeus tiveram o direito de salvo-conduto.

   
      Em um apartamento com poucos cômodos, pouca comida e com poucos objetos, Mika tenta se distrair com seu avô, um portador de um sobretudo enorme. Mas de modo implacável, seu avô morre, e este herda tal peça, que tem inúmeros bolsos. E é assim que nosso protagonista descobre objetos dentro dos bolsos do casaco e descobre um cômodo cheio de fantoches. 
     Como uma fuga da realidade, ele e sua prima, Ellie, embarcaram nesse mundo do fantoches e começaram a fazer sucesso no gueto. Com um tempo, eles começaram a ganhar comida em troca de apresentações e chegaram a ajudar crianças em orfanatos e hospitais.

"Dois pães para o alemão, um pão para o Polonês, uma fatia para o judeu."
     Mas, um dia, quando Mika retornava para sua casa, viu soldados maltratando uma judia e resolveu distraí-los com seu fantoches. Max, um dos soldados, adorou a iniciativa e começou a obrigá-lo a se apresentar com frequência para a horda de nazistas.
     Mika odiava o que fazia, se sentia sujo ao ser o entretenimento dos nazistas, dos ratos intrusos. Mas então Ellie teve uma ideia genial: nesses momentos que Mika saía do muro que contornava o gueto, levaria uma criança minúscula dentro de seu sobretudo, amarrado ao seu corpo e a deixaria do lado ariano da cidade. Logo, Mika conseguiu salvar inúmeras crianças raquíticas que foram resgatadas por poloneses. 
     Porém, tudo mudou rápido novamente. Em um dia, os nazistas simplesmente arrombaram portas e mandaram todos os judeus para um local. Depois, Mika ficou sabendo que era um campo de concentração, onde inúmeras pessoas eram eliminadas. Por pouco tempo, Mika, Ellie e suas mães foram poupados, graças ao soldado nazista Max: contudo, isso não perdurou por muito tempo. E, assim, Mika e Ellie perderam sua família e ficaram sozinhos.
     Mas logo, uma resistência nasce no gueto de Varsóvia e vários jovens participam dela. Através do casaco Mika trazia armas, remédios e instrumentos para dentro do gueto. Quando os nazistas voltaram a atacar os restantes dos judeus, os rebeldes lutaram contra eles — foi nesses dias de intensa guerra que Mika e Ellie se apaixonaram. Mas será que ambos sobreviveriam? Será que conseguiriam fugir do fim inevitável para os judeus? 
     Quando o soldado Max salvou a família de Mika, ele recebeu desse, como recompensa, o fantoche preferido do pequeno judeu. Max continuou a seguir ordens e, quando se deu conta, os Aliados haviam ganhado a guerra. Ele foi preso pelos russos e enviado para a Sibéria para trabalhar por anos em regime de escravidão. Max se culpava por tudo, mas seus amigos lembrava-o de que ele só seguira ordens. 
     Depois de muito sofrimento, o soldado consegue fugir na companhia de dois homens. Entretanto, a Sibéria é muito grande e seus amigos acabaram morrendo em meio da neve infinita. Mas o alemão resiste e consegue retornar ao seu país de origem. 
     Seu filho já está adulto, enquanto o encantamento que reinava em seu casamento foi se desfazendo; a guerra arruinara tudo. O fantoche que sempre estivera em sua companhia sobrevivera a tudo, assim como ele. Agora restava encontrar seu verdadeiro dono, ou Mika estava morto?

     O Menino dos Fantoches de Varsóvia foi escrito pela autora Eva Weaver, uma alemã que se sensibilizou com Holocausto e resolveu escrever sobre ele. A obra foi publicada no Brasil no primeiro semestre de 2014 pela Editora Novo Conceito

     O Menino dos Fantoches de Varsóvia é, de longe, um dos meus livros favoritos. Primeiro, pela narração perfeita que Eva Weaver criou; algo hipnotizante e conquistador, e, depois, pelos sentimentos apresentados. Todas as frases desse livro foram impactantes e de emocionar.
     A obra foi dividida em três partes, sendo a primeira A História de Mika, a segunda A Jornada do Príncipe e a terceira Voltando para Casa. A primeira parte explica com exatidão sobre o gueto de Varsóvia e toda a dor de um judeu no Holocausto.


Foi divulgada a capa de “Roleta Russa“, de Jason Matthews, futuro lançamento da editora Arqueiro. O thriller policial deverá chegar às livrarias em Maio. Vamos conferir? 


Sinopse: Desde pequena, o sonho de Dominika Egorova era fazer parte do Bolshoi, o balé mais importante da Rússia. Após ser vítima de uma sabotagem, porém, ela vê sua promissora carreira se encerrar de forma abrupta. Logo em seguida, mais um golpe: a morte inesperada do pai, seu melhor amigo.
Desnorteada, Dominika cede à pressão do tio, vice-diretor do serviço secreto da Rússia, o SVR, e entra para a organização. Pouco tempo depois, é mandada à Escola de Pardais, um instituto onde homens e mulheres aprendem técnicas de sedução para fins de espionagem.
Em seus primeiros meses como pardal, ela recebe uma importante missão: conquistar o americano Nathaniel Nash, um jovem agente da CIA, responsável por um dos mais influentes informantes russos que a agência já teve. O objetivo é fazê-lo revelar a identidade do traidor, que pertence ao alto escalão do SVR.
Logo Dominika e Nate entram num duelo de inteligência e táticas operacionais, apimentado pela atração irresistível que sentem um pelo outro.

Adorei a sinopse, e vocês? A capa também é muito interessante e, sem dúvidas, apostarei nesse thriller. Conte-nos o que acharam da novidade! 




Livro: Anjo Mecânico
Título original: Clockwork Angel
Autor (a): Cassandra Clare
Editora: Galera Record
Páginas: 392
ISBN: 9788501092687
Sinopse: Anjo mecânico apresenta o mundo que deu origem à série Os Instrumentos Mortais, sucesso de Cassandra Claire. Nesse primeiro volume, que se passa na Londres vitoriana, a protagonista Tessa Gray conhece o mundo dos Caçadores de Sombras quando precisa se mudar de Nova York para a Inglaterra depois da morte da tia. Quando chega para encontrar o irmão Nathaniel, seu único parente vivo, ela descobrirá que é dona de um poder que capaz de despertar uma guerra mortal entre os Nephilim e as máquinas do Magistrado, o novo comandante das forças do submundo. 

SÉRIE "AS PEÇAS INFERNAIS"
    1.  Anjo Mecânico
    2.  Príncipe Mecânico
    3.  Princesa Mecânica

Anjo Mecânico é o primeiro livro da trilogia “As Peças Infernais”, a segunda série situada no universo dos caçadores de sombras, de Cassandra Clare. A diferença é que, dessa vez, a história se passa anos e anos antes de Cidade dos Ossos (resenhado aqui!) – e, além disso, somos premiados com uma perspectiva única sobre a magia, e o mundo oculto nela.

    O livro começa narrando a história de Tessa Gray, uma jovem americana de origem pobre, que, por ser órfã e ter acabado de perder sua tia, precisa se mudar para Londres em busca de seu irmão mais velho. Chegando lá, Tessa é surpreendida por um mundo inimaginável: ela é sequestrada por duas irmãs misteriosas que a forçam a usar seus poderes de metamorfose – até então os quais ela não fazia ideia possuir –, enquanto ameaçam sua vida e a de seu irmão. 
    Tessa acaba sendo salva por Caçadores de Sombras, e agora se vê enredada em um jogo de poder e lutas demoníacas: sem ninguém para buscar consolo, ela precisa ficar com os caçadores de sombras, ao mesmo tempo que tenta descobrir a verdade sobre suas origens e o motivo de possuir seu dom. Além disso, no Instituto, Tessa conhece Will e Jem, dois melhores amigos que lutam lado a lado, e tem que desvendar seus verdadeiros sentimentos sobre cada um deles. 

    É quase impossível, ao falar sobre Anjo Mecânico, não fazer nenhuma comparação com a outra série de Cassandra Clare, Os Instrumentos Mortais. As semelhanças são inúmeras, mesmo que, em síntese, os plots das duas séries sejam muito diferentes – temos uma garota aparentemente normal, que acaba exposta ao mundo sobrenatural e que descobre possuir poderes extraordinários. Além disso, é claro, há um triângulo amoroso. A grande questão é que, mesmo com alguns fatos previsíveis, Clare conseguiu o inusitado: transformar a história em algo extremamente interessante. 
   A narrativa do livro segue o padrão da autora, em terceira pessoa e extremamente detalhada. É uma das coisas divinas sobre os livros de Clare (e, provavelmente, a minha favorita!), a emoção que ela consegue transmitir com alguns poucos parágrafos. Você sente – chora, ri e se engana – com os personagens, e acredito que não há melhor maneira de ler um livro. 
     O cenário da obra é a Londres vitoriana, na qual pode-se notar o estilo um tanto gótico, de sobretudos e chapéus, e vestidos e espartilhos, o que traz, por si, um grande charme ao contexto. Além disso, se levarmos em conta Os Instrumentos Mortais, dessa vez Cassandra Clare trabalha um universo mais sóbrio, mais maduro. A trama envolve algumas situações um tanto macabras, construções antigas, criptas e até mesmo um cientista maluco do bem. 
    Os personagens, dessa vez, são mais maduros (acredito que, até mesmo, pela época sóbria em que vivem). Tessa é uma adolescente tímida, sonhadora e muito inteligente. Muitas leitoras podem se identificar aqui, já que a menina é também uma leitora ávida. No geral, gostei da personagem, mesmo que ela possua algumas inconsistências: em alguns momentos ela possui tiradas fantásticas e momentos de inteligência extrema, contudo, em outros – quando eu esperava uma protagonista mais enérgica, do que tipo que “parte para a luta” – ela não fazia muito. É claro que isso é mais um gosto pessoal do que qualquer coisa, mas acho que faltou algo a mais para eu realmente me afeiçoar a ela. 
    Os personagens masculinos são encantadores, mesmo que com seus defeitos, e parecem se completar. Enquanto Will é ousado e arrogante, Jem é doce e atencioso, mas nem por isso menos letal. Ambos são caçadores de sombras e parabatai (parceiros de luta): o fato de os dois serem melhores amigos apenas traz à obra um bônus, já que eles se conhecem como ninguém e têm tiradas hilárias. 
   O meu maior receio em relação a leitura da série, no geral, foi apenas um: o triângulo amoroso. Posso resumir para vocês e dizer que não sou nem um pouco fã de triângulos amorosos. Simplesmente não consigo gostar. Como já sabia que esse era um dos focos da série fiquei um pouco temerosa, e essa é, justamente, a única crítica que tenho ao livro.



Olá, galera! Este mês está sendo recheado de livros para nós! Devido a quantidade de livros ganhados, concedidos e comprados, iremos fazer mais de uma Caixa de Correio. Nesta primeira parte, nos atemos aos livros de parceria da Editora Novo Conceito, que são muitos. Vamos conferir? 

 
O primeiro livro é do famoso James Patterson e da autora Emily Raymond. Primeiro Amor é um livro pequeno e bem interessante que veio com um poster (à esquerda) lindo! 
Minha leitura atual, O Menino dos Fantoches de Varsóvia é um livro realmente bonito. A edição é de admirar e a estória também. Logo, logo a resenha está aí, pessoal.


 
Mais um livro do nosso querido Bob! Bob, Um Gato Fora do Normal além de contar com uma nova história, também tem em anexo fotos do gatinho amado. Vale muito apena ter essa maravilha na estante. 
 Escrito por Lori Gottlieb, Mulheres que Escolhem Demais é um mesclado entre auto-ajuda e histórias. Aposto que muitas mulheres aí vão se identificar! 


  
Esta é uma História de Amor é um livro simples, mas bem agradável. Foi escrito pela autora Jessica Thompson e esperamos lê-lo logo para resenhá-lo para vocês! Vinte Garotos no Verão é outra novidade, escrito pela Sarah Ockler

 
Desde o Primeiro Instante, de Mhairi Mcfarlane é outro livro interessante! Enquanto Colin Fischer parece prometer muito, mesmo sendo um livro tão pequeno. Quem também gostou dessa capa? 


 
A Escolha do Coração é um livro hipnotizante e demonstra carregar uma história dramática e moralista enquanto O Lado Mais Sombrio, leitura atual da Gabi, é a nova sensação! Escrito pela A. G. Howard, conta com uma nova versão de Alice no País das Maravilhas. 

Belleville é um livro nacional, publicada pelo novo Selo da Novo Conceito: Novas Páginas. Trata-se de um romance escrito por Felipe Colbert e tem uma capa lindíssima. Será resenhado em breve.

LOMBADAS!

É isso aí, pessoal. A próxima caixa de Correio contará com mais livros, e desta vez, de compras, trocas e de mais parcerias. Esperamos que tenham apreciado e conte-nos os quais vocês desejam ler!


    Oi, gente! Temos uma ótima novidade: o Palácio de Livros agora é um blog parceiro da Editora Charme. Ainda nova no mercado editoral, mas prometendo chegar com tudo, a Editora Charme divulgou a capa do livro Absoluto, primeiro volume da Trilogia da Lei escrito por MS Fayes. Confiram!

Ela era um fenômeno, como estudante de direito. Ele era o advogado mais temido do estado. Prestes a se formar com honras, Kate se viu imersa no mundo do Direito civil, antes mesmo de estar com seu diploma em mãos. Conhecendo o trabalho do Dr. Gabe Szaloki, ela foi pega, inesperadamente, em uma onda avassaladora de atração, mas ainda assim relutou a se permitir viver esse tórrido romance. Porém, Gabe não era imbatível apenas nos tribunais. Ele queria Kate a qualquer custo e mostraria a ela porque ele sempre saía vitorioso em seus casos. Em meio a casos jurídicos, os dois se enfrentam em um duelo de palavras, que serve apenas para acender a chama incandescente que Gabe sente por Kate. Kate se vê seduzida pouco a pouco pelo poderoso advogado, entregando seu coração de maneira despretensiosa.
Maquinações invejosas, um conflito e um mal entendido fazem com que os dois se afastem. E quando a verdade vem à tona, Gabe tem que provar que seu amor por Kate é simplesmente absoluto.
Gente, que capa linda é essa? rs. Ah é, e precisamos notar que o livro é da autora nacionalíssima, M. S. Fayes. Estou super animada para ler a série, já que a sinopse promete um livro ótimo!



Livro: Refúgio
Título original: Shelter
Autor (a): Harlan Coben
Editora: Arqueiro 
Páginas: 222
Apresentado ao público pela primeira vez no suspense Alta tensão, Mickey Bolitar se vê obrigado a ir morar com seu tio Myron, um ex-agente do FBI, após testemunhar a morte do pai e internar a própria mãe numa clínica de reabilitação. Agora o rapaz precisa se esforçar para conviver com o tio, de quem nunca gostou muito, e ainda se adaptar ao novo colégio. Para sua sorte, ele logo arruma uma namorada, a doce Ashley, que também é nova na escola. Quando sua vida parece estar entrando nos eixos, o destino lhe reserva uma surpresa: Ashley desaparece misteriosamente. Determinado a não perder mais uma pessoa importante em sua vida, Mickey contará com a ajuda de seus novos amigos, os excêntricos Ema e Colherada, para seguir o rastro da namorada. Para piorar, uma idosa reclusa da vizinhança lhe conta que seu pai ainda está vivo, sem dar maiores explicações. Quando esses dois mistérios se cruzam, Mickey descobre que está envolvido numa rede de intrigas que o levará a questionar a vida que acreditava ter. Perspicaz e esperto como o tio Myron, Mickey está disposto a fazer tudo o que for preciso para salvar as pessoas que ama.
SÉRIE "MICKEY BOLITAR"
    1.  Refúgio
    2.  Uma Questão de Segundos

     Mickey Bolitar perdeu o pai em um acidente de carro. A partir dessa tragédia, sua mãe entrou para o mundo das drogas e precisou ficar em um clínica de reabilitação. Nesse meio tempo, Myron Bolitar, seu tio, decidiu largar todas suas ocupações para apoiar o sobrinho. E nosso protagonista tenta voltar para sua vida normal.
     Nos primeiros dias de aula, Mickey conheceu Ashley Kent, uma garota linda e ainda sim, esquisita. Logo ele se vê apaixonado por ela, e, quando as coisas enfim estavam começando a dar certo, ela simplesmente desaparece.
     Com a ajuda de sua amiga Ema e um garoto nerd apelidado de Colherada, Mickey começa a investigar as pistas que sua namorada deixara para trás. Primeiramente, descobre que ela não era filha dos Kent, como estava registrado em sua ficha escolar. Olhando nas gravações das câmeras do colégio, descobrem também que um homem arrombara o armário de Ashley e que provavelmente ela estava envolvida com pessoas perigosas.
     O pior, era que qualquer pista deixada pela sua namorada era ligada à senhora Morcega, uma velhinha que se tornara até uma lenda na sua região. Um dia, esta mesma velhinha apontara seu dedo magro para Mickey e dissera que seu pai não havia morrido.
     Agora Mickey também estava sendo perseguido, e não conseguia esquecer o que dona Morcega havia dito a ele. Será realmente que seu pai estava vivo? Será que Ashley estava em perigo? 


Refúgio é um dos livros do famoso Harlan Coben, que teve suas obras traduzidas para 44 idiomas e ganhou inúmeros prêmios, dentre eles o Edgar Allan Poe. Harlan Coben foi confirmado para a Bienal do Livro desse ano que acontecerá em Agosto na cidade de São Paulo, e tem várias publicações traduzidas e publicadas pela Editora Arqueiro aqui, no Brasil. Confira a resenha de Refúgio abaixo, e depois compare-a com a resenha de Cilada

     Essa obra saiu totalmente do rumo que se era esperado. Acostumada com o livro Cilada, do mesmo autor, surpreendi-me quando percebi que Refúgio não era um livro que contava com todas as características de um gênero policial. Tratava-se, no entanto, da narrativa da vida de um adolescente com problemas pessoais em uma escola tipicamente estadunidense. A diferença entre esses dois livros era gritante. 
     Refúgio não se tornou ruim, tão pouco, por seguir o estilo juvenil. Pelo contrário, apreciei bastante este novo estilo e não pude deixar de compará-lo à Cidades de Papel, do John Green, onde um adolescente também sofre com a partida misteriosa de sua suposta amada. 
     Apesar disso, a obra teve um desenvolvimento um tanto cru. Talvez, devido à época que o livro foi escrito, ou porque o enredo contava com muita história e muitos detalhes. Harlan Coben arrasou mais uma vez em na construção de sua trama: é simplesmente surpreendente e imprevisível, mas continuo a acreditar que, com uma história dessas, era possível sim, fazer um desenvolvimento mais bem estruturado, com mais artimanhas e com um pouco mais de lentidão.
     Outro ponto que me decepcionou um pouco foi a narrativa, que deveria ser mais descritiva e detalhada. Minha principal reclamação sobre a obra (a mesma de Cilada), é a seguinte:






    Olá, pessoal! Tudo bem com vocês? Juntamos neste post os lançamentos do Grupo Pensamento e da Editora Suma de Letras. Há novidades bem interessantes e aposto que vocês vão adorar! Vamos conferir?


           GRUPO PENSAMENTO



Melanie Joy investiga de forma brilhante e inovadora por que nós estamos tão dispostos a comer certos animais enquanto jamais sonharíamos em comer outros. Nossa disposição para fazer isso só existe porque negamos a realidade. Ignoramos as evidências de que os animais têm consciência e que não precisamos de carne em nossa alimentação, pois, na maioria das vezes, vivemos mais tempo e melhor sem ela. Diferente de muitos livros que explicam por que não devemos comer carne, este explica por que comemos carne e como podemos fazer escolhas mais conscientes, como cidadãos e consumidores.







A Terra é conquistada por uma raça alienígena conhecida como os Confederados. A população adulta da Terra desaparece de vista, sucumbida pela Estática - um poderoso sinal telepático irradiado pelos alienígenas, que reduz as pessoas a um estado de total servidão. Mas existe um grupo imune aos seus efeitos: as crianças e os adolescentes. Enquanto isso, Holt Hawkins, um caçador de recompensas, tem como alvo Mira Toombs, uma astuta caçadora de tesouros com a cabeça a prêmio. Não demora muito para Holt capturar sua presa, mas a forte atração que surge entre os dois não é algo com que ele contasse. A queda de uma nave dos Confederados nas proximidades do lugar onde Holt e Mira estão acampados revela uma surpresa - a única sobrevivente é uma garotinha que não se lembra de mais nada a não ser do próprio nome: Zoey. Logo eles descobrem que todo o exército alienígena está à procura de Zoey. O que ela tem de tão especial? Será que os poderes dessa garota, por mais improvável que isso possa parecer, são a chave para deter os Confederados de uma vez por todas?



Edred Thorsson, um dos especialistas em runas mais conhecidos do mundo, oferece uma riquíssima introdução à arte de jogar runas e a fazer previsões através delas. A leitura das runas revela o mistério da relação entre deuses e homens, entre o mundo interior e o exterior. Para cada runa, o autor tece um comentário detalhado e esclarece seus significados tradicionais, bem como seus aspectos positivos e negativos. Além disso, com palavras-chave para ajudar iniciantes e runomantes experientes na interpretação das runas, ele mostra como lançar e dispor runas e, assim, responder a perguntas relacionadas a todos os aspectos da vida.






SUMA DE LETRAS

Camryn Bennett e Andrew Parrish nunca foram tão felizes. Cinco meses depois de se conhecerem num ônibus interestadual, os dois estão noivos e prestes a ter um bebê. Nervosa, mas empolgada, Camryn mal pode esperar para viver o resto de sua vida com Andrew, o homem que ela sabe que vai amá-la para sempre. O futuro só lhes reserva felicidade... até que uma tragédia os surpreende. Andrew não consegue entender como algo tão terrivelmente triste pôde acontecer. Ele tenta superar o trauma — e acredita que Camryn esteja fazendo o mesmo. Mas, quando descobre que Camryn busca sufocar uma dor imensa de uma forma perigosa, fará de tudo para salvá-la. Determinado a provar que o amor dos dois é indestrutível, Andrew decide levar Camryn numa nova jornada carregada de esperança e paixão. O mais difícil será convencê-la a ir junto... Com Entre o agora e o sempre, a aguardada continuação de Entre o agora e o nunca, J. A. Redmerski concluiu a história de amor que encantou milhares de leitores.



"Apesar de apaixonada pela arte e pelas cores de Veneza, cidade onde vive, a jovem restauradora Elena Volpe tem seu coração como uma tela em branco, pois nunca viveu uma grande paixão. Com 29 anos, a protagonista de "Eu Te Vejo" tem a sua vida transformada com a chegada de Leonardo Ferrante, um famoso chef de cozinha e o mais novo inquilino do palácio onde trabalha na restauração de um afresco. O encontro com Leonardo abala suas certezas, abrindo as portas de um paraíso inexplorado. O chef sabe que o prazer é uma conquista para todos os sentidos – tem uma forma, um odor, um sabor – e guiará Elena até os limites mais doces e extremos do sexo, mas sob uma condição: nunca deverá se apaixonar por ele. A jovem aceita a proposta e deixa- se seduzir por este homem de passado misterioso, que parece fugir de seu desejo de prendê-lo a ela para sempre. Em "Eu Te Vejo", Irene Cao revela uma trama de escrita suave, como o pincelar cuidadoso de uma restauração, e saborosa, como a gastronomia italiana. Tendo como cenário a exuberante cidade de Veneza, o primeiro volume da primeira trilogia erótica italiana traz todos os sentidos envolvidos na paixão entre Elena, uma mulher que não conhece o amor, e Leonardo, um homem que só conheceu o lado mais obscuro desse sentimento."


Ethan Blackstone traiu a confiança de Brynne, sua ‘bela garota americana’, e por isso ela o deixou. Nem mesmo a paixão explosiva que unia o casal foi capaz de vencer os segredos que eles escondiam. Mas Ethan está disposto a fazer qualquer coisa para trazê-la de volta. E, quando Brynne passa a sofrer ameaças, Ethan terá de correr contra o tempo, usando todas as armas que tem para protegê-la dos perigos que ameaçam separá-los para sempre. Em Entrega total, Ethan Blackstone é um homem apaixonado, que irá às últimas consequências para salvar a mulher amada. O segundo volume da série O caso Blackstone traz a história de duas pessoas que se entregam a um amor poderoso, capaz de curar as feridas do passado e revelar uma vida de prazer total.





Grandes surpresas aguardam no horizonte de Ethan e Brynne enquanto se esforçam para adaptarem-se ao que a vida colocou à frente. Demônios do passado ameaçam destruir o apaixonante vínculo que forjaram mesmo com todas as promessas de que nada poderia separa-los. Uma devastadora perda, junto com a promessa de uma nova esperança, abrem seus olhos ao que realmente é importante, mas é possível que os amantes deixam para trás as dolorosas lembranças que continuam atormentando-os?


A editora Novo Conceito finalmente decidiu tornar padrão também aqui no Brasil as novas capas da trilogia Shatter Me, de Tahereh Mafi, começando pelo final com Incendeia-Me e, provavelmente, ainda esse ano veremos os dois primeiros livros também com esse novo padrão.


Sinopse: Juliette agora sabe que talvez seja a única que pode deter o Restabelecimento. Mas para fazê-los cair, ela precisará da ajuda de uma pessoa que jamais imaginou poder confiar: Warner. E a medida que trabalham juntos, Juliette descobrirá que tudo que acreditava saber — sobre Warner, suas habilidades, e até mesmo Adam — estava errado.

O livro que encerra a trilogia deve sair em junho e o conto que acontece entre o segundo e terceiro livro, Fracture Me, será lançado em formato digital ainda esse mês. Não se sabe se a editora nacional também publicará o volume físico contendo os dois contos da saga, Unite Me.

A Fox comprou os direitos de adaptação da distopia de Tahereh Mafi, sendo Peter Chernin e Dylan Clark os produtores responsáveis.

O que acharam da capa, leitores? Eu adorei e, com certeza, irei comprar a série! Só achei que a ilustração fugiu um pouco do modelo construído pelas outras capas da série. Mas como as primeiras capas serão modificadas para ficarem iguais a essa, creio que não há problema algum. E vocês, o que acharam? 


    Ei, pessoal. Ultimamente, recebemos várias reclamações de leitores, e todas com o mesmo assunto: o formulário de comentários usado pelo Palácio de Livros, o Disqus, estava apresentando problemas. Depois de alguns dias tentando solucionar o que estava errado e pesquisar um pouco mais sobre a plataforma, vimos que não havia jeito - teríamos que excluir o Disqus. Como consequência, todos os comentários feitos com o Disqus no blog foram excluídos
  É claro que é triste ver o resultado de tanto trabalho sumir assim, de uma hora para a outra, mas, entre o passado e o futuro, resolvemos optar pelo futuro. Esperamos que se adaptem a nova forma de comentários, e pedimos que se ocorrer algum problema, contate-nos. E, é claro, continuem comentando. Obrigada!


 Oi, leitores! Quem nunca, pelo menos uma vez, sentiu que tudo estava dando simplesmente errado em sua vida? Se você acredita em má sorte é sabe que é algo com o qual, em muitos momentos, podemos sofrer – mas, garanto a vocês: vocês nunca serão tão azarados como as personagens abaixo citadas. Esse é o Top 5: Personagens Azaradas. 

1. ARYA STARK - AS CRÔNICAS DE GELO E FOGO
Precisamos concordar que, na série de George Martin, não há personagens que possam ser considerados sortudos - nenhum deles, contudo, consegue superar a falta de sorte de Arya Stark. Com apenas onze anos (e isso no quinto livro da série, já que no começo da estória ela tinha só nove anos!), Arya já passou por mais do que muitos adultos. Adoro a personagem, ainda mais pela sua atitude corajosa e independente, mas preciso dizer que ela também é uma pelas quais eu mais sinto dó. Quando você achar que tudo de ruim já aconteceu com ela, acredite: fica pior. 

2. KATNISS EVERDEEN - JOGOS VORAZES
Você acreditaria que viver em um país pós-apocalíptico, no Distrito mais pobre de todos e passar fome, lutando para sobreviver todos os dias já seria má-sorte o suficiente. Bem, não para Katniss Everdeen  tudo isso não foi nada comparado a ter que lutar até a morte com outros jovens, ou às consequências que resultaram disso. Durante os três livros da série, parece que as coisas só vão ficando pior e pior para a menina do Distrito 12 - afinal, a sorte nunca está a nosso favor. 

3. JULLIETTE - ESTILHAÇA-ME
Tudo bem que a Julliette pode ser (e muito!) chatinha, mas não há como negar: o destino não foi bom com ela. Imagine você ser trancada em um hospício, taxada de louca, e, de quebra, matar tudo o que toca. Essa é a vida da personagem da trilogia Estilhaça-me, que, mesmo quando consegue escapar de sua prisão, ainda precisa lidar todos os dias com as muralhas que a vida coloca a sua frente. Juro, é problema atrás de problema para a Juliette! 

4. CALLIE - STARTERS
Viver em constante fuga, não ter um lugar para viver e ser órfã seriam grandes problemas. É claro, se você não vivesse em um mundo dominado por pessoas mais velhas, que estão determinadas a controlar a população jovem: a única além deles a escapar de um vírus mortal, já que todas as pessoas entre 18 e 60 anos foram exterminadas. Callie possui sua cota de sofrimento, mas, ainda sim, as coisas ruins parecem nunca parar de acontecer com ela.

5. ROSE FITZROY - ADORMECIDA
É claro que ser herdeira de uma empresa multimilionária parece ser o sonho de toda garota - mas não quando tal sonho vem com as consequências que Rose precisou enfrentar. Rose entrou em estase em um dia  uma espécie de tratamento que impede a pessoa de envelhecer  e, por acidente, acordou somente 60 anos depois. Com seus pais e todos que ela conhecia mortos, o mundo que lhe era familiar completamente modificado e cheia de dúvidas, a moça parece ser acompanhada pela má sorte. E no decorrer do livro, é claro, as coisas só ficam mais e mais complicadas para ela. 


Então, o que acharam das escolhas? Deixe-nos saber nos comentários com quais vocês concordam ou não. E, mais importante: quem aí estaria disposto a trocar de lugar com alguma delas? rs.


.