Livro: Eu Sou As Escolhas Que Faço
Título Original: The Crossroads of Should and Must
Autor (a): Elle Luna
Editora: Sextante
Páginas: 176
ISBN: 9788543103716 
Sinopse: Esta é uma história sobre dois caminhos: a segurança e a paixão. É uma conversa estimulante para quem escolheu a segurança durante muito tempo – meses, anos, talvez a vida inteira – e sente que está na hora de abraçar a paixão. Assim começa o ensaio que a designer e ilustradora Elle Luna publicou no site Medium.com, em abril de 2014. Em poucas semanas, o texto viralizou na internet, foi compartilhado por mais de cinco milhões de usuários do Twitter e lido por 250 milhões de pessoas. Mas o que aquele texto tinha de tão especial? No manifesto – que acabou sendo expandido e transformado neste livro –, Elle parte de sua experiência pessoal para inspirar os leitores a traçar uma nova trajetória de vida, deixando para trás as escolhas convenientes e criando um futuro que represente sua verdadeira identidade. Isso significa se arriscar em novas atividades, abandonar velhos hábitos, repensar antigas crenças e dar voz àquilo que você sempre sonhou fazer. Porque é possível viver da nossa paixão – embora nem sempre seja fácil. Em um livro totalmente colorido e ilustrado, Elle mostra os desafios, os obstáculos e os medos que costumam impedir nosso progresso. Mas nos ensina a encontrar soluções criativas para superar cada um deles. Eu sou as escolhas que faço traz uma mensagem universal: nunca é tarde para empreender essa jornada de transformação. Por meio de pequenas decisões diárias e adotando novas perspectivas, podemos realizar a mudança mais significativa de nossa vida. A melhor coisa que podemos fazer por nós mesmos é descobrir o que temos de especial a dar ao mundo e depois agir para colocar isso em prática. Muitas pessoas felizes e realizadas já trilharam esse caminho. Aqui vamos descobrir como fazer isso também.

Elle Luna é designer, pintora e escritora. Ajudou no desenvolvimento de sites como Medium.com e de aplicativos de iPhone como Mailbox e Uber. Atualmente mora em São Francisco. Conheça mais sobre o trabalho dela em elleluna.com.

   Eu Sou As Escolhas Que Faço, da estreante Elle Luna, é dividido em quatro sutis e importantes partes, acompanhadas de introdução e epílogo. Na INTRODUÇÃO, rápida e objetiva, a autora nos conta como o livro surgiu e como ela se decidiu sobre escrevê-lo após perceber que, com muita frequência, sentimos que não estamos vivendo a vida ao máximo porque não estamos expressando nossos dons ao máximo. O mais interessante é que a autora não somente escreveu o livro por escrever, por assim dizer, mas, como ela mesma ressalta, "para compartilhar o que descobri na minha própria jornada e o que mais ajudou as pessoas que conheci." Após a parte introdutória, somos levados a PRIMEIRA PARTE do livro, nomeada de A Encruzilhada, onde a autora nos conta sobre aquele momento em que a encruzilhada aparece e nós não sabemos qual escolha é a mais clara, já que dois mundos diferentes, mas igualmente sedutores, são apresentados. E é justamente sobre essas escolhas que Luna se debruça nesse capítulo, onde ressalta que na encruzilhada da vida há dois caminhos: o caminho da segurança e o da paixão. Segundo a autora, sempre encontramos essa encruzilhada. E, todos os dias, fazemos uma escolha.
   Na SEGUNDA PARTE do livro, intitulada de O que você deve fazer, a autora, após explicar como sempre devemos escolher a paixão, invés da segurança, e ter discutido como na realidade, apesar de sabermos o quão fantástica é a paixão, ainda assim, temos dificuldades de a escolhermos todos os dias, nos instiga a percorrer um caminho próprio — já que desde o momento em que nascemos nos dizem o que devemos fazer, e isso, no inicio pode ser bom, no entanto, às vezes ficamos presos a essas "assas"  mais tempo do que o necessário. É um capitulo recheado de boas reflexões, onde, com muita sutileza e verdade, a autora nos ensina que se desejamos viver nossa vida com plenitude  — se desejamos ser livre  —, primeiro precisamos entender por que não estamos livres. Na TERCEIRA PARTE, de nome O que você precisa fazer, Luna nos ensina os métodos eficazes para atingirmos nossa escolha que, claro, deve sempre a paixão. Continuando de forma bastante objetiva, a autora nos mostra como somos nós quem criamos o caminho até nossos sonhos e que, no começo, não há caminho  — é um nada, um vazio, uma tábua rasa, como Aristóteles chamou. 
   Na QUARTA PARTE, nomeada de O retorno, somos levados a um estado de não mais comodismo, onde não importa o que aconteça, a paixão já está como prioridade. É como uma viagem e nesse momento, nas aventuras finais, aprendemos a honrar quem somos e a valorizar a paixão ao longo da vida. No curto EPÍLOGO, temos uma narrativa pouco incomum e igualmente reflexiva, onde Elle conta sua experiência ao assistir a uma apresentação do pianista húngaro András Schiff, onde ao observar um homem ao seu lado, que batia palmas entusiasmado, resolveu perguntá-lo se ele era pianista. Ele respondeu que não, não sabia tocar uma música se quer. Mas costuma sonhar que sabia. 

Mas só porque uma coisa tem valor não significa que ela é necessária.
     
   Desde que eu bati o olho nesse título chamativo, Eu Sou as Escolhas que Faço, e na proposta igualmente interessante, eu decidi que iria ler o livro — mesmo que eu não esteja familiarizado com o gênero. Eu sempre fui do grupo que não gosta muito de autoajudas e afins, mas, apesar disso, nunca deixei de reconhecer que, querendo ou não, eles sempre acabam sendo importantes quando os lemos. Quando eu recebi o livro da Sextante, ele veio embalado e selado com um adesivo escrito "O mundo precisa de pessoas que se sintam vivas". Nesse momento eu já me senti tocado de alguma forma, como se a frase conversasse comigo, me alertando sobre algo muito importante, e comecei a criar imensas expectativas quanto ao livro. O mais interessante é que essas expectativas se mantiveram mais do que satisfatórias e, a bem da verdade, o livro de Luna se tornou um dos meus preferidos e um dos melhores que eu já li em toda a minha vida. 
   Elle Luna tem uma escrita maravilhosa, que conversa diretamente com o leitor, fomentando uma relação extremamente fluida e prazerosa. A parte mais interessante, e que torna o livro tão original, é que ele não somente diz para fazermos coisas, ele nos convence de que tais coisas precisam ser feitas — pois o fato da autora vivenciar tudo que diz e ensina é mais do que convincente. Há também uma intercalação entre texto e arte — já que a autora é designer — , o que torna a obra ainda mais bela e agradável. 
   Quando recebi o livro, ele também veio com uma mensagem da Coordenadora Editorial, Alice Dias, que me contou como foi toda a sua experiência com o livro. Isso, de certa forma, me inspirou muito a começar e, claro, a prosseguir com a leitura. Em seu pequeno gesto literário, Alice me informou que o texto era leve, informal e divertido... e ela estava mais do que certa. Alice também me contou que todos os dias a vida nos dá uma chance de escolher entre a segurança e a paixão. Quando optamos pela segurança, cortamos nossas asas. Quando escolhemos a paixão, podemos levar tombos, mas chegamos muito mais longe. 

Você arruma tempo para o que deseja.
Se não está dando prioridade para as coisas que diz serem importantes para a sua vida, talvez você não se importe tanto com elas assim. Às vezes, a parte mais difícil da busca pela nossa paixão é saber o que queremos. O que você quer? Você sabe?

   A edição da Sextante ficou extremamente bem feita e combina muito com as características vivas e vibrantes que o livro transmite. A capa segue padrões parecidos com a original — que também é linda! A diagramação é bem feita, com um projeto gráfico de deixar qualquer um boquiaberto. Depois do conteúdo escrito (textos e mensagens), o projeto gráfico é o que mais chama atenção no livro, ou seja, vale a pena comprar só por esse detalhe. Não encontrei erros de revisão e a tradução parece ter seguido com afinco o estilo da autora.
   Por fim, não poderia de deixar claro o quanto esse livro foi especial. Pessoal, sério, ele é muito, mas muito bom! Foi tão incrível a leitura que eu finalizei em poucas horas — não levei mais que três horas lendo. E o mais importante: consegui transformar a minha vida. Quando eu terminei o livro, eu não era o mesmo de quando tinha iniciado. Sobretudo, eu aprendi que cada um de nós tem um potencial único que nos foi dado ao nascer, mas se vamos cultivá-lo ou não depende apenas de nós mesmos. Em seu sentido mais puro, a paixão é a razão por que estamos aqui, e escolher abraçá-la é a jornada mais importante da nossa vida. Esse, sem dúvidas, é aquele tipo de livro que todos deveriam ler pelo menos uma vez na vida. Eu recomendo!

Primeiro Parágrafo: "Era uma terça-feira, por volta das 7h da manhã, quando cliquei no botão para publicar um texto no site medium.com." 
Melhores Quotes: "Se você desejar viver sua vida com plenitude — se desejar ser livre —, primeiro precisa entender por que não está livre." 
"Os dois dias mais importantes da sua vida são os dias em que você nasce e o dia em que descobre por quê."



2 Comentários

  1. Olá,
    Adorei a resenha do blog, li o livro e super curti. Me fez um bem danado a leitura e agora estou buscando alguma indicação de livros na linha do da Elle Luna , teria algum para indicar? (nunca fui muito fã de livros meio de autoajuda, até ler esse rsrs).
    Parabéns pelo blog, pela resenha e por influenciar com boas leituras!

    abs.,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, Amanda! <3 Eu faço minhas as suas palavras. Aconteceu o mesmo comigo! Eu te indico esse, que acredito ser para todos que amaram Eu Sou as Escolhas que Faço: http://www.esextante.com.br/livros/escolha-sua-vida/ Boa leitura!

      Atenciosamente,

      PEDRO OLIVEIRA
      EQUIPE PL

      Excluir

.