Livro: Guerra dos Tronos – Crônicas de Gelo e Fogo #1
Título Original: Game of Thrones – A song of Ice and Fire

Autor: George R. R. Martin
Editora: Leya
ISBN: 9788562936524
Páginas: 592
Publicação: 2010


Sinopse:
Quando Eddard Stark, lorde do castelo de Winterfell, recebe a visita do velho amigo, o rei Robert Baratheon, está longe de adivinhar que a sua vida, e a da sua família, está prestes a entrar numa espiral de tragédia, conspiração e morte. Durante a estadia, o rei convida Eddard a mudar-se para a corte e a assumir a prestigiada posição de Mão do Rei. Este aceita, mas apenas porque desconfia que o anterior detentor desse título foi envenenado pela própria rainha - uma cruel manipuladora do clã Lannister. Assim, perto do rei, Eddard tem esperança de o proteger da rainha. Mas ter os Lannister como inimigos é fatal - a ambição dessa família não tem limites e o rei corre um perigo muito maior do que Eddard temia. Sozinho na corte, Eddard também se apercebe que a sua vida nada vale. E até a sua família, longe no norte, pode estar em perigo.


Esclarecimentos: A obra se desenrola através de vários protagonistas espalhados pelo continente Westeros (Sete Reinos). O livro é narrado em terceira pessoa, apresentando os sentimentos e pensamentos dos personagens que a narrativa segue. Os protagonistas são: Lorde Eddard Stark (Ned); Senhora Catelyn Stark; Brandon Stark (Bran); Arya Stark; Sansa Stark; Jon Snow; Daenerys Targaryen (Dani); Tyrion Lannister. 


Lorde Eddard Stark é o senhor de Winterfell. Casou-se com Catelyn, da Casa Tully e teve como filhos: Robb (herdeiro), Sansa, Arya, Bran e Rickon Stark. Porém Ned também criou seu bastardo Jon Snow (Snow é o sobrenome de bastardos no norte do continente). 
Daenerys Targaryen é irmã de Viserys Targaryen, últimos de sua Casa (ou seja, de sua família). Antes do nascimento de Dani, todo Westeros passou por uma grande rebelião, onde a sua Casa, herdeira do trono, foi morta e substituída pela Casa Baratheon, do atual rei Robert Baratheon. Dani matou sua mãe durante o parto, sobrando-lhe somente como protetor, seu irmão descontrolado. Estes tiveram que se refugiar nas Cidades Livres, ou seja, longe do continente Westeros governado pelos Baratheon. 
Tyrion Lannister é o filho mais novo de Lorde Tywin, Senhor de Rochedo Casterly e Protetor do Oeste de Westeros. Apesar de ser dotado de uma grande inteligência, Tyrion é um anão (muito discriminado nessa época medieval por não poder segurar uma espada), e também o causador da morte de sua mãe, Senhora Joanna, durante o parto. Por tais motivos, mostra-se a vergonha da mais orgulhosa Casa do continente. É irmão dos gêmeos Cersei Lannister e Jaime Lannister (herdeiro). Cersei acabou casando-se com o Rei Robert Baratheon, e Jaime tornou-se um cavaleiro da Guarda Real (protetor dos que têm sangue nobre).


Jon Arryn, um velho nobre, fora por muitos anos a “Mão do Rei”, ou seja, o conselheiro do Rei Robert e fiel coordenador dos Sete Reinos. Mas uma doença o matou subitamente, deixando sua esposa Lysa Arryn (antes da Casa Tully) e um único herdeiro pequeno e fraco. Sua esposa levantou suspeita sobre sua morte abrupta. Culpou a Casa mais ambiciosa e perigosa de Westeros, os Lannisters, enviando uma carta repleta de acusações para sua irmã, Catelyn Stark, que morava distante de Porto Real, em Winterfell, com seu marido, Lorde Eddard, e seus filhos.

Mas o Rei Robert Baratheon necessitava de outra “Mão” que lhe fosse confiável. Quem melhor do que seu “irmão” de criação? Então parte com toda sua corte para o norte, para Winterfell, a fim de chamar Eddard Stark para governar ao seu lado. Catelyn, já alerta pelos avisos de sua irmã, confidencia tal suspeita ao seu marido, que não encontra outra opção ao não ser tornar-se a “Mão do Rei” e ficar ao lado de Robert, para que nada de ruim pudesse lhe acontecer.
Mas a Rainha, Cersei Lannister (suspeita por ter matado Jon Arryn), guardava um terrível segredo. Nenhum de seus três filhos era do Rei Robert, mas filhos de seu irmão Jaime Lannister, frutos de um incesto.
Lá parte Ned com suas filhas para Porto Real. Robb Stark, por ser herdeiro, necessitou permanecer em Winterfell, com seu irmão Rickon (ainda um bebê de colo) e Bran, que acabou caindo de uma torre. Ou deveria dizer: acabou sendo jogado de uma torre por um Lannister?
Com grande trabalho, Ned acaba seguindo os mesmos caminhos de Jon Arryn, para compreender porque este se tornara uma grande ameaça para os Lannister. Procurava todos os bastardos do Rei Robert ao seu alcance e colocava-se a analisar um livro que retratava todas as Casas dos Sete Reinos, que Jon, antes de morrer, explorara também. É nessa altura que encontra o grande segredo da Rainha Cersei e seu irmão gêmeo. Contudo, antes que pudesse agir, Robert retorna ao seu Castelo, depois de uma caça ao javali de que tanto apreciava. Bebera tanto vinho que seu escudeiro, Lancel Lannister, lhe concedera, que o javali arrancara todas suas entranhas. Ned percebeu que seu amigo de infância e conseqüentemente, seu Rei, iria morrer. Mas podia lhe contar que todos os seus supostos filhos não lhe pertenciam? Que Robert não deixaria herdeiros?
Antes de falecer, o rei assina uma carta onde transforma Lorde Eddard no Regente dos Sete Reinos até que seu falso filho, Joffrey, atingisse a idade necessária para governar. Porém, os Lannister, de alguma forma, já previam a morte do Rei, e se adiantaram. A Rainha Cersei nomeou-se regente, enquanto Lorde Stark fora aprisionado nas masmorras por ter traído o reino e tentando roubar o trono de ferro para si. O pior, é que não era somente Ned que estava em apuros, mas suas filhas que se tornariam hóspedes reféns.
Arya consegue fugir, enquanto Sansa (antes prometida ao príncipe Joffrey) se encontra presa naquele tumulto.
O que irá acontecer com Lorde Eddard? Com Arya, que não passa de uma criança de oito anos? E Sansa que se encontra presa e maltratada por seu prometido e herdeiro do Trono de Ferro?
Mas não são somente estes que sofrerão conseqüências. Catelyn Stark já se encontra nas estradas dos Sete Reinos com Tyrion, o anão Lannister, como prisioneiro. E Bran Stark acorda de seu coma, aleijado pela queda que sofrera. Robb, o herdeiro de Lorde Eddard, se prepara para batalhas contra os Lannisters, enquanto Jon Snow, o bastardo de Ned, está na muralha (no norte) enfrentando os Outros (mortos-vivos) que ameaçam cair sobre todo Reino. E aí? Qual parece ser a mais perigosa das batalhas?

É um livro adulto, sangrento, cruel e imprevisível. Semelhante a nossa realidade, não há como classificar personagens em “bons” ou “maus”. Todos passam por desesperos, ameaças, decisões importantes e assumem atitudes que provavelmente as pessoas assumiriam se tal história fosse real. Não há personagem neutro, o qual é manipulado pelos escritores para chegar mais fácil a um resultado. Pelo contrário, os personagens de Martin são tão complexos que acredito que isso dificulte um pouco (muito) para que a história seja elaborada.
Quando digo Imprevisível, digo em TUDO. A obra é tão real que me deixa sem fôlego. Não há mais vidas para os mocinhos do que para os vilões, como aprendemos em muitos livros. Nessa guerra, não há Vale-vida, e os personagens mais importantes e que carregam consigo muito mais história dos que os outros, acabam morrendo igualmente e abruptamente, sem serem usados, muitas vezes. É difícil se desfazer dos clichês que nos são concedidos ao longo de nossas vidas. A história não vai para o lado que é mais fácil, provável, mas para o outro, que deixa o leitor totalmente surpreso.
Sou muito crítica, consigo encontrar erros e qualidades nos livros com muita facilidade. Mas na obra de Martin, tive grande dificuldade de encontrar algum vacilo do escritor. É perfeita, por mais detalhes que seja constituída! E por isso que me apeguei muita à série. Ela não o prende pela emoção (o que acho muito sacana), ela o prende por que a trama é verdadeiramente boa. Cada palavra, frase, expressão é cuidadosamente aplicada. Nunca encontrei um livro que eu não conseguisse visualizar o “preparar de um terreno”, ou seja, quando o autor está preparando uma parte da obra para o fim que se segue. Mas não o vi em Guerra dos Tronos, por justamente mexer com detalhes de diálogos e expressões.
Enquanto muitos escritores têm dificuldade de colocar elementos fantasiosos e deixá-los com a impressão de reais, Martin faz isso com facilidade.
Recomendo MUITO Guerra dos Tronos. É um livro que te faz pensar, te faz manter a mente afiada. Nenhuma informação estará lá de graça, você precisa ir atrás dela. E por isso, que muitos desistem de lê-lo, porque estão acostumados com séries infanto-juvenis, e estão acostumados a terem tudo de bandeja.
Mas tenho uma dica para quem não está acostumado em ligar uma informação à outra. Leiam livros adultos antes da série. Leiam livros que estimulam o raciocínio, como por exemplo: Revolução dos Bichos, de George Orwell. Livros que são sangrentos (sem indicações à altura), livros de detetive, onde muitos personagens são imprevisíveis. E se mesmo assim não conseguirem acompanhar, assistam a série Guerra dos Tronos (que eu particularmente não gosto nem um pouco), a qual muitos tiveram que apelar para enfim compreender.
Para quem está muito acostumado com guerras do tipo: só cortar a garganta ou a cabeça, vai se assustar com o realismo do livro. Ali, eles cortam as mãos e pernas do cativo vivo, e ainda por cima o forçam alimentar-se de sua própria carne, antes de lhe cortarem o resto. Ali o coto recém-feito fede, apodrece todo o corpo. Os cavalos que não obedecem a seus donos perdem a cabeça. Os que vêem coisas que não devem, perdem os olhos, e as pessoas que se encontram no caminho da rainha, são destinadas à uma série de experimentos dos Meistres (curandeiros), onde gritam em desespero suplicando a morte. Inclusive, um de meus preferidos personagens (não por ser bom), foi esfolado vivo, e ainda ofereceram o coro de seu dedo à Catelyn Stark. Crianças mortas são presas em lanças nas muralhas das torres e jovens perdem a cabeça, e no seu lugar, costuram o crânio de outro animal, por exemplo, os de lobos.
Bem, não é uma leitura para qualquer um, correto?

Primeiro Parágrafo do livro: 
– Deveríamos regressar – insistiu Gared quando os bosques começavam a escurecer ao redor do grupo. – Os selvagens estão mortos.
Melhor quote:
“– Cometi mais erros do que pode imaginar, mas este não foi um deles.
 – Ah, mas foi, senhor – Cersei insistiu. – Quando se joga o jogo dos tronos, ganha-se ou morre. Não existe meio termo.”
Capitulo de Eddard, página 346.


9 Comentários

  1. ouvri dizer q é mt bomm,
    vou ler sim
    vs escreve mt bem , parabens

    ResponderExcluir
  2. Já tava curiosa pra ler esse livro, agora que li a resenha eu PRECISO compra-lo! haha

    ResponderExcluir
  3. Esse quote da Cersei é clássico, um dos melhores de todos! Gostei bastante da resenha, pois você falou que o livro não é para qualquer um, devido ao alto grau erótico e violento do mesmo.
    Como já sou bem velhinho (19 anos), li o livro e para mim é um dos melhores de todos os tempos.
    Recomendo MUITO!

    http://desbravandolivros.blogspot.com.br/

    P.S.: Se você deixar o testo justificado fica melhor, pelo menos na minha opinião.

    ResponderExcluir
  4. Eu quero muito ler esse livro. Sua resenha está ótima e deixou-me mais curiosa ainda e enorme vontade de ler.

    ResponderExcluir
  5. Eu já era fã da série, mas só assistir não foi suficiente. Já sou uma pessoa que ama ler e ler esses livros das Crônicas de Gelo e Fogo está sendo incrível. É uma história rica em detalhes, cenários, coerente e muito, muito imprevisível rsrs o que faz com eu goste ainda mais é claro. Adorei seu post seu blog.

    http://quantomaislivrosmelhor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Resenha ótima, mas está mais para um resumo pois possui muitos spoilers! Avisa a gente antes!
    Beijo

    ResponderExcluir
  7. Como você mesmo disse, é bom ler "livros de adulto" antes de adentrar à essa trama.
    Bom, não fui informado disso antes, e mesmo sentindo um pouco de dificuldade, perseverei na leitura. E tal me cativou muito, agora estou partindo para o 2º livro da série...

    ResponderExcluir

.